A pastora evangélica Adriele da Silve Ota foi alvo de uma grande polêmica após um vídeo ser divulgado através das redes sociais por um de seus fiéis. Nas imagens, a pastora Adriele diz que os filhos que agridem ou mesmo enfrentam os seus pais devem receber uma mão na cara e também uma pisada no pescoço. A atitude da pastora foi vista como um tipo de incitação à violência e causou grande repercussão. "Jovem que enfrenta a mãe e diz que está endemoniado... Mete a mão na cara, joga no chão e pisa no pescoço, mostra pra ele que quem manda é você (...) Mostra quem é valente", disse.

Declaração

A polêmica declaração que acabou viralizando nas redes sociais no decorrer do fim de semana, ocorreu durante um culto realizado na igreja Assembleia de Deus e ministrado pela pastora na zona leste de São Paulo.

Adriele atua como pastora na comunidade do Tijuco Preto há pelo menos 9 anos. O vídeo que explodiu na web foi gravado por um dos fiéis da igreja que iniciou o processo de gravação alguns instantes antes da pastora verbalizar as declarações polêmicas durante o culto.

Argumentos da pastora

Em entrevista concedida ao UOL, a pastora se defendeu e alegou que o vídeo foi publicado fora de contexto e que sua intenção jamais foi incitar qualquer tipo de violência e muito menos orientar os pais a baterem em seus filhos.

Ao se defender, a pastora também alegou que tem uma forma de falar mais simples e objetiva para que os fiéis consigam entendê-la. Ela afirmou ainda que jamais instruiria pais e mães a agredirem os próprios filhos, mesmo que eles já tenham feito isso com os pais.

Sobre a frase polêmica onde ela fala da mão na cara e pé no pescoço, a pastora evangélica afirma que foi metafórica e que na verdade queria dizer que os pais precisam mostrar aos filhos quem é que manda dentro de suas, casas assim como ofertar regras e não deixar que eles façam o que bem querem.

Toda a família de Adriele é composta por pastores.

Além dela, seu marido também é pastor e seu filho já atua como pastor mirim na igreja. Ainda de acordo com ela, a vida familiar deles é um livro aberto e nenhum deles tem algo a esconderem.

Repercussão

O vídeo polêmico recebeu diversas críticas por parte dos internautas, mas também foi seguido de aprovação e apoio por grande parte deles.

Enquanto uma parcela dos seguidores apoiava as declarações da pastora outros criticavam sob o argumento de que ela não era uma "seguidora de Deus".

Ainda durante a entrevista ao UOL, a pastora revelou que a repercussão negativa de alguns internautas não a abalaram de jeito nenhum. Adriele ainda revelou que tem plena consciência de que as suas falas parecem realmente algo bastante grave, no entanto, como estão fora de contexto, ela garante que os fiéis que estavam no culto naquele dia compreenderam perfeitamente o contexto e entenderam o que ela realmente quis passar.

Siga a página Religião
Seguir
Siga a página Maternidade
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!