Assaltantes deixaram moradores do centro de Criciúma, em Santa Catarina, apavorados na última noite de segunda-feira (30), durante um roubo a banco que durou cerca de 1 hora e 45 minutos. Os assaltantes e a Polícia chegaram a trocar tiros, mas ninguém morreu durante o confronto.

Os ladrões usaram alguns funcionários da prefeitura de Criciúma para fazer uma escudo humano e impedir que os policiais se aproximassem para conter o roubo. Além disso, eles também bloquearam os acessos e provocaram incêndios em um carro que estava atravessado na via.

O delegado Anselmo Cruz, titular da Delegacia de Roubos e Antissequestro da Diretoria Estadual de Investigações Criminais de Santa Catarina, comentou que a ação como esta dos criminosos não havia acontecido ainda na cidade.

Os ladrões estavam em posse de 10 carros, entres eles alguns de luxo. Eles também estavam portando armas de grosso calibre.

Segundo informações da polícia, os bandidos queimaram o caminhão em frente ao 9º Batalhão da Polícia Militar da cidade. O veículo foi identificado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) e tinha uma placa da cidade de Dumont (SP). Ainda segundo a polícia, o caminhão bloqueou a passagem de um túnel próximo ao morro do Formigão, na BR-101, na cidade de Tubarão.

Além disso, os criminosos colocaram grampos de ferro que podem furar pneus de carro, com o intuito de dificultar a operação dos policiais e Corpos de Bombeiros. Os bandidos atiraram diversas vezes contra o batalhão, mas nenhum policial foi atingido.

Enquanto os criminosos partiam para o local do roubo, policiais cruzaram com os criminosos próximo ao Shopping Criciúma e começaram a trocar tiros, e um dos policiais acabou sendo atingido.

O policial passou por cirurgia e está fora de perigo. Em seguida os policiais pediram reforços.

Funcionários são feitos reféns e forçados a carregar os malotes

Ao chegarem ao local, os bandidos começaram a fazer reféns e fechar as saídas e entradas que dão acessos às ruas onde eles estavam cometendo o crime. Os bandidos continuaram a fazer disparos em direção à polícia.

Para concluir o roubo, os ladrões usaram explosivos para abrir os cofres de uma agência do Banco do Brasil que fica localizada na avenida Getúlio Vargas, no centro de Criciúma.

Seis funcionários que estava fazendo manutenção das vias foram feitos reféns e três deles foram obrigados pelos criminosos a carregar malotes de dinheiro, segundo a prefeitura de Criciúma.

Além disso, os funcionários foram obrigados a tirar a camisa e ficar sentados no meio da via, próximo à agência onde acontecia o roubo, para impedir que a polícia agisse contra os bandidos.

Assim que fizeram o roubo, os ladrões fugiram nos carros em direção a uma cidade vizinha chamada Nova Veneza.

Com a explosão, notas ficaram espalhadas pelo local onde aconteceu o crime. Quatro homens foram detidos pelo furto das cédulas abandonadas pelos criminosos.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!