Na madrugada desta última sexta-feira (25), noite de Natal, um motorista de aplicativo foi acusado de violentar uma jovem em Minas Gerais. A vítima, acompanhada pela mãe, denunciou o crime à Polícia Militar e o motorista foi preso.

Entenda

Na madrugada da última sexta-feira (25), um motorista de aplicativo de 31 anos, cujo nome não foi divulgado, foi preso por ser suspeito de violentar uma jovem de 23 anos na cidade de Montes Claros, em Minas Gerais.

Segundo depoimento da vítima à polícia, o crime teria acontecido durante o trajeto para sua casa, após o motorista a buscar em seu local de trabalho.

Após o término do trajeto, a moça perguntou se o motorista fazia corridas particulares, por fora da plataforma, pois ela teria que estar no trabalho muito cedo, às 4h da manhã do dia 25, feriado de Natal.

A jovem explicou que trabalhava numa padaria e que, diante da dificuldade em encontrar motoristas disponíveis nesse horário pelo aplicativo, seria conveniente se organizar de outra maneira. O trajeto seria do bairro Alto da Boa Vista, onde fica sua casa, até o Todos Os Santos, local de seu trabalho. O motorista respondeu afirmativamente, os dois acertaram valores, trocaram telefones e deixaram o horário de saída acertado.

De acordo com a vítima, o motorista entrou em contato com ela no dia e horário agendado, afirmando estar a caminho.

Entretanto, já no início do deslocamento, o homem passou a adotar um comportamento nada convencional. Segundo a vítima afirma, o suspeito parou próximo a um posto de gasolina e inclinou para trás um dos bancos do carro.

Ao indagar ao motorista o motivo da parada, o homem ordenou que passasse para o banco da frente e começou a passar-lhe as mãos sobre o corpo, tentando beijá-la e abraçá-la contra sua vontade.

Ao tentar se desvencilhar, o homem acionou as travas das portas do carro, impedindo-a de sair. O homem abaixou as calças, depois a cueca e montou sobre a passageira.

Ignorando todos os pedidos para que parasse, o homem não respeitou as negativas, e violentou a passageira. Após finalizar o ato ctiminoso, a vítima afirma que o motorista a deixou na porta do trabalho, onde imediatamente ligou para sua mãe que veio em seu auxílio.

Juntas, seguiram até o hospital mais próximo e, em seguida se dirigiram até a delegacia de polícia.

O motorista foi preso e, em depoimento à polícia, confirmou que realizou a corrida e que teria tido contato físico com a vítima, mas que tudo havia se dado de modo consensual. O motorista afirma que já se “relacionou” com outras de suas passageiras sem que houvesse grandes problemas.

Situações de abusos ligados a aplicativos estão cada vez mais frequentes. O caso está sendo investigado pela polícia.

Siga a página Mulher
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!