Combater o novo coronavírus e as desigualdades sociais, investir em educação e saúde e inserir jovens da periferia no mercado de trabalho, são algumas das prioridades de Bruno Covas (PSDB), reeleito prefeito de São Paulo neste último domingo (29), no segundo turno das eleições municipais. Essas prioridades fizeram parte do discurso de Covas aos seus eleitores e correligionários, após a confirmação desse resultado pelo Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE/SP).

Bruno Covas venceu Boulos do PSOL

Bruno Covas, que tem como vice o vereador Ricardo Nunes (MDB), é neto do ex-governador do Estado de São Paulo Mário Covas, que morreu de câncer em 2001.

Pai do jovem Thomás, de 15 anos de idade, Covas foi reeleito com 59,38% dos votos válidos.

O gestor municipal venceu nas urnas o candidato Guilherme Boulos, do PSOL, diagnosticado com Covid-19 às vésperas deste segundo turno das eleições 2020. Juntamente com os demais eleitos desse ano, será reempossado no cargo dia 1º de janeiro de 2021.

Versão histórica de Bruno Covas

Segundo o G1, o tucano Bruno Covas venceu em meio à maior abstenção da história da cidade de São Paulo, quando mais de 30% dos eleitores não foram às urnas exercer seu direito pleno da democracia. Essa porcentagem, segundo o G1, corresponde a 2.769.179 votos. Ainda segundo o G1, pelo TRE, Covas gastou R$ 19,4 milhões na sua campanha política. Isto corresponde a cerca de seis vezes mais do que o seu adversário Boulos, que gastou R$ 3,4 milhões.

Bruno Covas estabelece prioridades

Ainda no discurso pós-vitória, Bruno Covas, que elegeu para sua campanha o mote “Força, foco e fé”, afirmou, que São Paulo optou pela ciência, equilíbrio e moderação. Sob alcunha de “Prefeitão”, ressaltou que vai governar para todos paulistanos, afirmando que de agora em diante não há regiões azuis ou vermelhas, e sim, São Paulo.

A reeleição de Bruno Covas envolveu uma coligação com onze partidos políticos, incluindo, além do PSDB, PP; MDB; PL; PSC; Podemos, Cidadania; PTC; DEM; PV e PROS.

Este ajuste rendeu ao tucano um aumento no tempo de propaganda na TV no primeiro turno. Porém, não surtiu efeito quando o assunto remete à eleição de um número suficiente de vereadores para formar maioria na Câmara Municipal.

Os gastos de ambas as campanhas devem ser apresentados até o próximo dia 15 de dezembro. Decretada a vitória de Bruno Covas, Boulos cumprimentou o prefeito reeleito. Ele também afirmou que um dia o PSOL irá vencer as eleições.

Conforme o site UOL, os correligionários e eleitores de Boulos consideram que o segundo lugar tem sabor de vitória, por chegar ao segundo turno. O prefeito de São Paulo reeleito, Bruno Covas Lopes, é um advogado com 40 anos de idade, que se formou bacharel em direito pela Universidade de São Paulo (USP). Tem ainda o g economia pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) de São Paulo.

Nascido em Santos, no litoral paulista, o administrador municipal foi deputado estadual e secretario estadual do Meio Ambiente, no Governo de Geraldo Alckmin, de 2011 e 2014.

Em 2014, foi eleito deputado federal. Em 2017, interrompeu o mandato, formando chapa com João Doria para concorrer à Prefeitura de São Paulo.

Covas então assumiu a Prefeitura em 2018, quando Doria se afastou do cargo para concorrer a Governo do Estado de São Paulo. Desde 2019, Covas luta contra um câncer na cárdia, região entre o esôfago e o estômago, que já resultou metástase e linfonodos.

Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!