Um caso de violência contra criança assustou a população de Belford Roxo, na Baixada Fluminense. Um menino de apenas 8 anos, diagnosticado com autismo, era mantido preso em um canil pela própria mãe e a avó.

O caso

A Polícia Civil recebeu uma denúncia de que uma criança de apenas 8 anos, diagnosticada com transtorno do espectro do autismo, estava sendo vítima de maus-tratos pelas pessoas que deviam protegê-la. Além disso, a denúncia, que inicialmente partiu de vizinhos e conhecidos, informava que o menino vivia preso em um canil.

Uma operação realizada pela equipe de inteligência da Polícia Civil resultou na prisão da mãe e da avó e no resgate do menino.

Delegado

José Salomão Omena, delegado responsável pelas investigações e pelas prisões, informou que toda a ação foi realizada com a equipe do Conselho Tutelar da região. A operação foi realizada em parceria com o órgão para evitar que possíveis confrontos entre os traficantes e os agentes policiais pudessem ocorrer na região.

Ao realizar a busca pela residência, os agentes encontraram o menino preso em um canil, com marcas e ferimentos pelo corpo, resultantes de tortura, e com um quadro consideravelmente grave de desidratação e desnutrição. Além da situação deplorável em que ele se encontrava, não existia nenhuma outra pessoa no local. O menino era deixado sozinho, sem a supervisão de nenhum adulto.

Ainda de acordo com o delegado, o imóvel onde o menino era mantido em cárcere privado fica localizado em Gogó da Ema. O canil onde o garoto era mantido não tinha nenhum tipo de higiene.

Por motivos de segurança, as identidades da criança, da mãe e da avó não foram reveladas, assim como o local onde as prisões foram realizadas.

Crimes

A prisão da mãe e da avó não ocorreu no lugar do cativeiro, no entanto, para proteção da própria criança, o local segue em sigilo. Ambas foram presas em flagrante e devem responder pelos crimes de cárcere privado e tortura. Segundo o delegado, ambas alegaram que mantinham o menino preso justamente em razão de seu problema mental, e que tal ato era realizado no intuito de protegê-lo, pois assim ele não poderia fugir.

Caso a mãe e avó sejam condenadas pelos crimes, elas poderão pegar penas de até 15 anos de prisão.

Saúde

As agressões e maus-tratos acabaram ocasionando diversos problemas para o menino. Após ser resgatado, o jovem foi encaminhado para atendimento médico. Devido às lesões causadas pelas torturas e o quadro de desnutrição e desidratação, ele precisou ser internado.Uma equipe multidisciplinar está prestando atendimento à vítima. Apesar de todo o apoio e cuidados médicos, o delegado informou que o quadro de Saúde do garoto ainda é bastante delicado.