Uma ação espetacular da Polícia Militar do Distrito Federal, com policiais saltando de helicópteros, bombas jogadas das aeronaves e invasão da tropa de choque por terra, encerrou neste domingo (5) a invasão do Movimento Resistência Popular (MRP) ao Torre Palace Hotel, em Brasília. A desocupação aconteceu por volta das 6h e durou apenas 30 minutos. Vídeos gravados pela própria polícia e por testemunhas mostram uma ação muito bem planejada dos policiais militares, que encontraram resistência por parte dos invasores. No momento em que os helicópteros da polícia sobrevoam o topo do hotel, homens atiram pedras na aeronave, tentando derrubá-la e colocando em risco a vida dos tripulantes.

Os policias reagiram atirando bombas de gás lacrimogêneo, de baixo potencial letal. Após afastar os agressores, a tropa então pula do helicóptero para o alto do prédio. Assista:

A partir dos 2 minutos e 45 segundos de vídeo é possível observar a ação de um outro ângulo, com a tropa de choque subindo as escadas e disparando tiros de balas de borracha. Ha, claramente, risco de vida para manifestantes e policiais, já que as escadas não possuem paredes e a qualquer momento alguém pode cair.

Invasores contra-atacam

O Movimento Resistência Popular tentou impedir o avanço dos policiais atirando pedras, telhas e tijolos contra a tropa e seus helicópteros. O grupo também tentou colocar fogo no prédio, utilizando um fogão e botijões de gás. No total, 16 pessoas estavam no edifício, incluindo quatro crianças, que não se machucaram.

Os melhores vídeos do dia

Os adultos foram autuados por tentativa de homicídio, dano ao patrimônio e resistência à prisão. Cerca de 200 policiais da tropa de choque e do batalhão de operações especiais participaram da investida. 

Integrantes do Movimento acusam os policiais de terem invadido o hotel sem mandado judicial. Argumentam ainda que as famílias ocuparam o prédio que estava abandonado por não terem para onde ir. "Para eles o prédio é melhor que as ruas", publicaram nas redes sociais.

No dia 1º de junho policiais e integrantes do movimento já tinham entrado em confronto, como mostra o vídeo abaixo:

#Casos de polícia