Anúncio
Anúncio

Um caso daqueles que chocam as pessoas e nem parecem ser verdadeiros aconteceu em um hospital de Brasília, no Distrito Federal. Uma bebe recém-nascida com apenas quatro dias de vida teve sua bexiga retirada por engano em um procedimento que tinha como objetivo a remoção de um cisto ovariano que foi identificado na criança ainda dentro do útero da mãe por meio de exames.

Conselho Regional de Medicina abre investigação

O Conselho Regional de Medicina local irá começar uma investigação para apurar as responsabilidades e o que pode ter acarretado no Erro Médico, além da conduta da equipe de saúde. O caso ocorreu no mês de abril deste ano, mas só veio a público agora através de pedido de providências da família nas redes sociais, pois, segundo eles, o hospital parou de oferecer ajuda necessária ao bem-estar da criança, que teve dois drenos implantados na substituição do órgão que só poderá ser transplantado quando ela completar cinco anos de idade.

Anúncio

Nota do Hospital Santa Helena para a imprensa

O Hospital Santa Helena, que fica no final da Asa Norte, deu uma declaração à imprensa, negando que estaria deixando de prestar atendimento devido à criança. Ainda de acordo com o hospital, desde que foi dada alta à menina, vem sendo disponibilizado um médico para prestar qualquer assistência necessária e, recentemente, o Santa Helena entrou em contato com a família para reiterar a oferta de ajuda e também para acompanhar o caso.

O site G1 publicou matéria na tarde desta sexta-feira (29) em que afirma ter tentado contato com a mãe da bebê e também o advogado da família, mas estes preferiram não comentar sobre o caso.

Erro Médico

De acordo com a publicação feita na conta da mãe na rede social Facebook, a mulher afirmou que, durante a gravidez, foram realizados diversos exames, incluindo três de sangue e, nestes, foi constatada a presença de um cisto no ovário da bebê.

Anúncio

Ela ainda contou que todos os laudos foram entregues à equipe de saúde no hospital quando deu entrada para o parto. No entanto, os médicos entenderam que se tratava de outro tipo de cisto e que este estaria localizado próximo ao umbigo da criança, sendo urgente a remoção.

O erro só foi percebido dois dias depois da cirurgia, pois a criança apresentava-se toda inchada e sem urinar. Então, foi contado que houve remoção da bexiga da criança, que foi levada à Unidade de Tratamento Intensivo, sendo necessária a colocação de drenos provisórios. Estima-se que aos cinco anos de idade ela possa receber uma bexiga artificial por meio de outra cirurgia.