Guilherme Marques Filho, um sargento do corpo de bombeiros, trajava uma camiseta que homenageava o presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) quando, empunhando uma arma, foi flagrado agredindo um homem negro em Taguatinga, no Distrito Federal. As informações são dos site UOL e Metrópoles.

O episódio ocorreu na sexta-feira (18) em uma loja localizada perto de uma estação de metrô e foi registrado por câmeras.

Nas imagens divulgadas pelo portal Metrópoles, o sargento do corpo de bombeiros, armado, vai em direção ao programador Jair Aksin Reis, de 25 anos.

Marques alegou que Aksin havia lhe agredido primeiro com um tapa, desta maneira revidou com dois tapas na cabeça dele.

De acordo com o Metrópoles, o programador explicou que foi atacado porque anteriormente impediu que o sargento cometesse assédio sexual contra uma Mulher. Aksin prestou depoimento na 12° Delegacia de Polícia Civil e afirmou que Marques assediou uma mulher no metrô.

Ainda segundo Aksin, Marques teria passado a mão nas costas da mulher e ainda sorriu. O programador então reclamou com o bombeiro. Naquele momento, Marques teria sacado a arma, e os fiscais do metrô intervieram.

Em seu relato, Aksin afirmou também que Marques estava escondido esperando ele sair da estação do metrô, e foi por esta razão que o programador disse que correu para dentro da loja.

O UOL conversou com uma fonte da Secretaria de Segurança do Distrito Federal que afirmou que serão analisadas as imagens de segurança da estação do metrô e ouvidos os depoimentos de testemunhas para confrontar as declarações de Aksin com os esclarecimentos que Marques vier a dar.

Bombeiros

A corporação divulgou nota em que afirmava ser contrária "a qualquer tipo de agressão ou violência".

O texto ainda afirmava que serão adotados todos os procedimentos legais para apuração dos fatos.

O UOL entrou em contato com colegas de farda de Marques que afirmaram que o sargento da corporação está há pelo menos 20 anos nos bombeiros, atualmente ele está lotado no Cesma (Centro de Suprimento e Material).

O UOL também tentou falar com Marques, por meio de conhecidos dele e também pela assessoria de imprensa dos bombeiros, mas não conseguiu entrar em contato com com ele.

O site também tentou falar com com o programador Jair Aksin, mas também não obteve sucesso.

Porte de armas

Tanto policiais militares quanto bombeiros têm direto ao porte de armas. Jair Bolsonaro defende que a população em geral tenha o porte de armas, e não somente as forças de segurança.

Bolsonaro procura se manter próximo de policiais militares e bombeiros. Em 2020 o governo federal baixou uma Medida Provisória (MP) que aumentava o salário das corporações, mesmo o país enfrentando uma crise financeira por causa do novo coronavírus.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Mulher
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!