O leitor gostaria de levar um Audi para casa, pelo mesmo preço de um Honda?

Se sua resposta foi sim, a primeira coisa que o amigo deve saber é que, hoje, já é possível fazer essa “troca”. Afinal, o A3 Sedan Attraction 1.4 TFSI parte de R$ 101.190,00 - valor muito próximo do preço de entrada da nova geração do Civic, que chega no final de agosto, com valores acima de R$ 90 mil – há quem diga que a versão turboalimentada, EX-T, partirá de mais de R$ 110 mil.

Mas esqueça os sedãs, porque os utilitários-esportivos (SUVs) é que são a bola da vez e se o Q3 é um sonho distante, por R$ 143 mil, o próximo modelo da marca das quatro argolas a ser nacionalizado, o pequenino Q2, pode fazê-lo acordar no paraíso. O microSUV já está sendo produzido, na Alemanha, e assim que as coisas melhorarem no mercado nacional, ele ganhará cidadania brasileira.

Nossa ideia era produzi-lo em São José dos Pinhais (PR), mas a crise que o setor enfrenta, no país, acabou adiando nossos planos”, disse o vice-presidente global de compras da Audi, Bernd Martens, durante a apresentação mundial do Q2, em março.

Importá-lo da Alemanha é inviável, já que seu preço ficaria muito próximo do irmão maior, o Q3. Então, vamos esperar as coisas melhorarem para sermos mais competitivos”.

Em termos industriais, a produção nacional do Q2 no Brasil não tem complicações. O microSUV é montado sobre a mesma plataforma (MQB) usada pelo primo A3 Sedan e pelo novo Golf, da Volkswagen – ambos feitos no Paraná. Com 4,19 metros de comprimento, o Audi é 10 cm menor que o HR-V, da Honda, e quase 20 cm menor que o Q3, mantendo a mesma distância entre-eixos de 2,60 m do irmão maior. Nesta medida, o Q2 leva apenas 1 cm de desvantagem em relação ao Honda, prometendo a mesma habitabilidade do concorrente japonês.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Curiosidades

Motorização

Sob o capô, o microSUV brasileiro trará uma versão ligeiramente mais forte do motor turboalimentado 1.0 litro 12V, de três cilindros, usado pelo Up! – na Europa, o propulsor TFSI fornece 115 cv, mas, por aqui, ele pode receber uns cavalinhos adicionais. A unidade será combinada a um câmbio manual de seis marchas ou à transmissão pré-seletiva S-tronic, com embreagem dupla e sete marchas.

Na traseira, o Q2 “made in Brazil” trará suspensão com eixo de torção, mais simples que o sistema four-link usado nas versões alemãs com tração integral Quattro e controle eletrônico de amortecimento (ADC). A tração será apenas dianteira.

Hoje, a versão topo de linha do HR-V – EXL, equipada com transmissão automática (CVT) de variação contínua – sai por R$ 99.200. Já nossa estimativa para o valor de entrada do Q2 Attraction 1.0 TFSI é de R$ 100.320, ou seja, uma diferença mínima de R$ 1.120.

Além de 70 quilos mais leve, o microSUV da Audi promete melhor desempenho (0 a 100 km/h em 10,7 s e velocidade máxima de 190 km/h), bem como a maior autonomia da categoria – média de consumo urbano próxima de 13 km/l, com uso exclusivo de gasolina, contra 11 km/l do Honda.

Apesar do estilo bem-comportado, o Audi Q2 traz muito conteúdo, com destaque para o Traffic Jam Assist (TJA), o Assistente de Engarrafamentos, que não só movimenta e freia o veículo, durante o anda e para dos congestionamentos, como também esterça o volante – em velocidades abaixo de 65 km/h.

O Park Assist, que estaciona sozinho, é outro destaque, assim como o Assistente Ativo de Mudança de Faixa (ALA), que alerta o condutor sobre mudanças involuntárias ou sobre a presença de outro veículo em um ponto cego, esterçando levemente o volante, os faróis com luzes diodo (LEDs) e o painel de instrumentos em película fina (TFT). O porta-malas com capacidade volumétrica de 405 litros – apenas 26 l a menos que o Honda – é outra boa surpresa deste peso-pena.

Se o mercado brasileiro iniciar seu processo de recuperação neste segundo semestre, a nacionalização do Q2 pode ser colocada em prática, no ano que vem, e seu lançamento comercial pode acontecer no segundo trimestre de 2018.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo