O conjunto de pneus é, certamente, uma das partes mais importantes de um automóvel, já que são eles que fazem o contato entre o veículo e o solo. Bons hábitos na direção e a prática de procedimentos simples aumentam consideravelmente a sua vida útil e a segurança.

Em condições ruins, os pneus podem levar à perda de controle do veículo na pista e a possíveis acidentes. Veja alguns quesitos a que todo motorista ou proprietário de veículo deve se atentar:

Calibragem

Rodando ou não, os pneus perdem cerca de duas libras por mês e, por isso, é bom fazer a calibragem mensalmente.

Boa parte dos postos de combustíveis cobra uma moeda de R$ 1,00 por 4 minutos de uso da bomba de ar.

A pressão deve ser feita com os pneus frios — de preferência, pouco depois de ligar o carro, pela manhã. Temperaturas altas aumentam a pressão interna dos pneus e interferem na calibragem. Quem for calibrar os pneus antes de viajar deve já estar com o porta-malas cheio, já que as pressões recomendadas são diferentes para o veículo carregado e descarregado.

A calibragem ideal para os pneus da maioria dos carros populares é de 30 psi.

No entanto, é importante consultar qual é a recomendada no manual de proprietário do veículo.

Super calibrados

Pneus cheios demais são mais propensos a estourar. Por ficarem com menor área de contato com o solo, eles têm maior desgaste na área central da banda de rodagem (lado do pneu que faz contato com a pista).

Além disso, eles podem fazer o veículo perder estabilidade em curvas e ainda favorecer a ocorrência de aquaplanagem, que é quando o veículo desliza sobre a pista molhada.

Descalibardos

Pneus vazios esquentam muito e aumentam seu desgaste, principalmente nas extremidades da banda de rodagem. Eles podem ainda forçar o motor a trabalhar mais, gastando cerca de 25% a mais de combustível. A direção fica mais dura, o que pode sobrecarregar o sistema de direção e causar futuros danos.

Esquecido

É importante ainda não se ignorar o estepe. Como ele já recebe menos atenção normalmente, o indicado é calibrá-lo com cerca de cinco libras a mais.

Troca de pneus

Rodar com pneus gastos acarreta multa de R$195,23, além de cinco pontos na carteira e um possível recolhimento do veículo. Pneus lisos tendem a derrapar mais nas curvas e frenagens, mesmo em superfície seca. Além disso, estão mais propensos a furar e a estourar.

Careca

Não se deve esperar os pneus ficarem totalmente lisos para trocá-los. Se os sulcos estiverem com menos de 1,6 mm de profundidade, já é hora da troca. No entanto, não é necessário uma régua para saber um pneu está ou não em conformidade com a lei

Os indicadores TWI (Tread Wear Indicator) são pequenos ressaltos de borracha entre os sulcos da banda de rodagem, identificados pela sigla TWI ou pela figura de um triângulo.

Se o desgaste da borracha tiver atingido o nível destes ressaltos, o pneu é considerado gasto.

Rodízio

A troca dos pneus do eixo de trás pelos da frente serve para compensar o desgaste desigual que existe entre eles. Como o eixo dianteiro é mais fácil de ser controlado em caso de derrapagem, é indicado que os pneus mais novos fiquem atrás. Assim, os pneus durarão mais e terão maior eficiência.

Apesar de poucas pessoas seguirem à risca, o ideal é que o rodízio aconteça de dois em dois meses.

Alinhamento e balanceamento

Os dois procedimentos devem ser feitos sempre que se faz a troca de pneus ou qualquer componente da suspensão ou ainda a cada 10.000 km rodados.

São indicados também caso seja percebido que a direção está mais difícil, com vibrações ou puxando para um lado.

Alinhamento

É o procedimento feito para manter as rodas perpendiculares ao solo e paralelas entre si. Um carro provavelmente está desalinhado se forem observados desgastes em áreas diferentes de cada pneu.

Balanceamento

É o equilíbrio de pesos entre as quatro rodas do automóvel. A calibragem, já mencionada acima, é uma forma de ajudar o balanceamento porque nivela a altura das rodas.

Para concluir, é importante lembrar que a forma de conduzir preserva os pneus por muito mais tempo. Além disso, as condições de componentes de várias outras partes do veículo como amortecedores, molas, freios, rolamentos, eixos e rodas influem diretamente sobre os pneus.

Portanto, deve-se certificar de que todas estejam em bom estado.

Não perca a nossa página no Facebook!