Conforme anunciado na terça-feira (23) pela BlastingNews, astrônomos revelaram, nesta quarta-feira (24), a descoberta de um planeta com potencial de habitabilidade. Embora os cientistas envolvidos no achado não tenham informado o nome do astro anteriormente, hoje, como previsto, eles comunicaram que o planeta foi batizado de Proxima b - devido a sua proximidade com a anã-vermelha Proxima Centauri, situada na constelação de Alpha Centauri, a 4,2 anos-luz de nós (mais de 25 trilhões de milhas).

Detectado por meio dos telescópios do Observatório Europeu do Sul (ESO), no deserto do Atacama (Chile), o achado só foi possível devido a atuação conjunta de pesquisadores de vários países, entre eles Londres, Espanha e Alemanha.

De acordo com o periódico britânico Daily Mail, desta quarta-feira, o comunicado enviado à imprensa destaca o clima e o potencial do astro para proliferar vida orgânica. Segundo os envolvidos, existe a possibilidade de haver água em estado líquido na superfície daquele corpo celeste. Contudo, os astrônomos elucidam que a água líquida em Proxima b pode existir apenas nas regiões mais ensolaradas. A suspeita é que ela flua em alguma área do hemisfério daquele planeta que é voltada para a estrela.

Devido ao fato de Proxima Centauri ser uma anã-vermelha – considerada fria – o lado do planeta voltado permanentemente a ela pode ter clima capaz de fazer com que exista água líquida.

Cientistas avaliam que num futuro distante, o astro poderá ser colonizado por explorados espaciais da Terra.

Características

Na avaliação dos astrônomos, Proxima b leva cerca de 11,2 dias para completar a órbita em torno da estrela Proxima Centauri (equivalente ao que o Sol é para nós).

Os melhores vídeos do dia

A Terra, por exemplo, demora 365 dias para dar a volta completa ao Sol.

Os cientistas também acrescentam que uma análise detalhada das pequenas mudanças de luminosidade, observada pelos telescópios, indicou o fato de a ‘segunda Terra’ ter massa equivalente ao nosso planeta. O astro seria apenas 1,3 vezes maior que o nosso mundo. A distância entre ele e Proxima Centauri é de 7 milhões de quilômetros.

Ainda que os pesquisadores não confirmem oficialmente a presença de vida naquele corpo celeste, eles não negam a possibilidade. Conforme o astrônomo da Universidade de Hertfordshire (Londres), Dr. Mikko Tuomi, pode haver o ambiente propício à vida naquele astro. No entanto, Tuomi é cuidadoso com as palavras.

“Se Proxima b tem uma atmosfera e se há água lá, e estes são os grandes "ses", é intrigante pensar que os ingredientes simples - água, dióxido de carbono e rocha - necessários para a formação de ciclos bioquímicos que chamamos de vida, poderiam estar presente e interagir na superfície do planeta ", pondera. 

Embora Tuomi avalie a necessidade de estudos mais aprofundados nos próximos anos, para desvendar se Proxima b tem, ou já teve vida, ele acentua que, provavelmente em poucas décadas, descobriremos se temos ‘companhia’ no Universo.

"Certamente parece possível que poderíamos encontrar algo fora deste mundo dentro de nossa vida", considera.

Novos estudos serão feitos para analisar a composição e outras particularidades do astro.