Esta é uma daquelas questões que, volta e meia, suscitam até mesmo debates mais acalorados: estalar os dedos faz mal para as mãos? De acordo com uma nova pesquisa, a resposta a essa pergunta é um sonoro não.

Em um estudo realizado pela Sociedade Radiológica da América do Norte (Radiological Society of North America), pesquisadores utilizaram ultrassom para analisar, em tempo real, o que acontecia com as juntas dos dedos de 40 voluntários no exato momento em que estes eram estalados.

A pesquisa registrou parâmetros como a força utilizada para executar o estalo, a amplitude do movimento e a flacidez das juntas antes e após o ato.

De acordo com os resultados, nenhum dano em curto prazo foi registrado.

Mania benéfica para alguns, irritante para outros

Na verdade, alguns voluntários do experimento acabaram sendo beneficiados pelo processo, pois a execução do estalo aumentou a amplitude do movimento dos dedos em comparação com aqueles que não foram estalados.

Dr. Robert Boutin, que conduziu o estudo, também procurou desvendar o que causa o barulho do estalo das articulações. O exame de ultrassom feito pela equipe de Boutin registrou flashes luminosos nos momentos em que os dedos dos voluntários eram estalados, e isso levou os pesquisadores a acreditarem que o barulho ocorre porque há uma mudança na dinâmica da pressão, associada a bolhas de gás existentes em cada articulação.

Em outras palavras, quando um dedo é estalado, duas superfícies da articulação que o compõem são separadas, o que reduz a pressão no local.

Os melhores vídeos do dia

A medida que ocorre essa queda de pressão, pequenas bolhas de gás são liberadas a partir do fluido existente nas articulações. "Achamos que é por isso que uma junta fica com mais amplitude de movimento depois de estalá-la: há algo sobre a redução da pressão que permite maior frouxidão", disse Boutin.

O pesquisador afirmou também que, segundo sua opinião pessoal, a história de que estalar os dedos seria prejudicial pode ter surgido porque algumas pessoas se sentem tão irritadas com o som resultante que começaram a espalhar o boato.