Ter amigos é algo extremamente necessário para osseres humanos, poisoferece muitas vantagens, principalmente na vida emocional e social. Será que ter amigos é algo realmente necessário para que a verdadeira felicidade seja real? Alguns cientistas resolveram dar prioridade ao assunto e estudaram profundamente as vantagens e desvantagens de pessoas que preferem ser mais seletivas em sua vida social.

O estudo foi recentemente divulgado pela revista científica British Journal of Psychology, e afirmou que, as pessoas consideradas altamente inteligentes e que sentem extrema necessidade de manter uma vida social ativa, acabam se tornando insatisfeitas com a sua vida.

Para chegar a essa conclusão, os psicólogos Norman Li, que atua na Universidade de Administração de Singapura; e Satoshi Kanazawa, que atua na London School of Economics, localizada na Grã-Bretanha; reuniram aproximadamente 15.000 pessoas com idades entre 18 e 28 anos. Os pesquisadores questionaram qual era a intensidade com que eles costumavam se comunicar com suas amizades e também analisaram os dados da densidade do ambiente em que os voluntários habitam.

A explicação se resume na vida passada de seus ancestrais, que moravam na savana africana.

Os estudiosos explicam que nossos ancestrais precisavam se socializar harmonicamente, pois só assim conseguiriam sobreviver a um ambiente que era considerado completamente hostil e agressivo. Eles contam que, a população era muito limitada naquela época, com aproximadamente 150 membros por bando.

Foi então que os pesquisadores chegaram à conclusão que, atualmente as pessoas se sentem melhores quando estão vivendo em ambiente com menor densidade - essa herança ancestral influencia muito na convivência entre amigos e familiares atualmente.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Relacionamento

Os pesquisadores relatam que, nas pessoas que possuem o QI elevado, a densidade demográfica baixa não chega a amplificar o sentimento de bem-estar e felicidade. Eles esclarecem que, quanto mais essas pessoas sentem necessidade de se socializar com outras pessoas, o contentamento tende a ser ainda menor, não se aplicando para aqueles que são altamente inteligentes.

“Os efeitos causados pela densidade populacional no contentamento com a vida dessas pessoas consideradas inteligentes são aproximadamente duas vezes superiores, comparados às pessoas que possuem um QI menor.

Mostrando que as pessoas com o QI maior estavam poucos satisfeitas com a vida, principalmente quando se socializavam com pessoas com mais frequência”, explica os estudiosos que se dedicaram à pesquisa.

As pessoas inteligentes não sentem necessidade de estarem vinculadas aos outros, elas preferem manter o seu foco em suas metas individuais. Elas buscam estar em harmonia consigo mesmas, e de vez em quando interagem com mais intimidade com as pessoas que estão ao seu redor e que são consideradas de seu grupo social.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo