Exercitar a musculatura íntima colabora com o aumento de fluxo sanguíneo na região pélvica, ajudando a aumentar o fluxo de hormônios diretamente para a área vaginal, garantindo orgasmos mais intensos e o controle urinário e fecal. Conforme a mulher fortalece seus músculos sexuais, ela vai notar que é consegue isolar os grupos musculares de sua base pélvica, conseguindo identificar quais são os músculos anais e distinguindo o seu Ponto G, que é um dos responsáveis pelo prazer feminino.

Esses músculos também ajudam no controle fecal e urinário, sustentando todos os órgãos centrados na região pélvica.

Publicidade

Nos homens o períneo está localizado no ânus indo até o saco escrotal, nessa área os músculos bulbocanernosos envolve todo o órgão genital masculino e a sua contração, auxiliando na ereção.

A prática constante desses exercícios envolvendo os músculos que citamos acima é muito importante para a saúde masculina e feminina. Lembrando também que, algumas queixas ligadas às possíveis alterações destes músculos podem estar agregadas a ejaculação precoce (nos homens), vaginismo, vulvodínia (nas mulheres), disfunção erétil e frouxidão vaginal, por isso, é importante procurar o auxilio de um especialista caso você sinta alguns sintomas negativos.

Veja qual é a forma correta de praticar os exercícios que colaboram para a sua saúde íntima

Contraindo e soltando a musculatura

Sente-se e apoie os seus pés no chão, mantendo as suas pernas delicadamente afastadas uma da outra. Depois incline o seu tronco só um pouco para frente. Agora você vai contrair a musculatura do assoalho pélvico sem precisar da ajuda de seu abdômen para segurar a respiração. Depois disso, relaxe por aproximadamente três segundos e recomece o exercício novamente. Para obter o resultado esperado é necessário fazer dez repetições, três vezes ao dia.

Publicidade
Os melhores vídeos do dia

Compressão sustentada

Para que você realize esse exercício continue na mesma posição que indicamos acima, depois disso tente contrair a musculatura do assoalho pélvico e se mantenha segurando a contração, sem prender o ar e não contando com a ajuda do abdômen. Apenas conte o tempo em que você consegue sustenta-la. Realize essa contração e relaxe, se você conseguiu contrair por dois segundos, descanse por aproximadamente seis segundos até recomeçar a próxima sessão. Realize dez repetições por três vezes ao dia.

Não é aconselhável realizar esses treinamentos no momento em que se está fazendo xixi, pois isso pode ocasionar danos no esvaziamento completo de sua bexiga no momento do ato.