Após recém publicarmos a intrigante filmagem de um misterioso animal, meio cervo, meio cavalo, descoberto na província de Xinjiang (China), pesquisadores do Instituto Scripps de Oceanografia, e do Museu da Austrália Ocidental (WAM), acabam de gravar, pela primeira vez, um peixe marinho ainda pouco conhecido, identificado como rubi seadragon (rubi dragão do mar), uma terceira espécie pertencente à família seadragon.

Captado no habitat selvagem sob o mar da costa da Austrália Ocidental, a inusitada espécie, que parece uma mistura de Cavalo-marinho com dragão, foi gravado por cerca de 30 minutos, durante expedição científica.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Curiosidades

Agora, devido ao tempo de filmagem, estudiosos acreditam que será possível descobrir novas características sobre a anatomia, o habitat e o comportamento do rubi seadragon. O achado foi divulgado na CNN, National Geographic, The Telegraph e diversos outros jornais, em 12 de janeiro.

A inédita gravação, feita na quinta-feira, em apenas três dias de exibição no Youtube, já soma mais de 981 mil visualizações.

O raro animal, testemunhado na região oeste da Austrália, no arquipélago de Recherche, formado por 105 ilhas, marca a primeira vez que o peixe de 10 polegadas foi observado vivo.

Apesar do filme ser o primeiro registro do ruby seadragon em atividade no fundo do oceano, pesquisadores descobriram a espécie em 2015.

Porém, a exposição do peixe sem vida, no Facebook do Museu da Austrália Ocidental, em 2016, gerou comentários negativos de usuários que se recusaram a compartilhar a foto da nova espécie, sem vida.

“Não posso compartilhar a foto de um ruby seadragon morto...”, escreveu Claire B Goodbody (clique na imagem abaixo para achar a conversa).

Diferente das duas espécies de seadragon catalogadas (comum e frondosa), cientistas demonstraram surpresa ao notar que o ruby seadragon não possui anexos ornamentados semelhantes a folhas - característica comum da família à qual pertence.

Os melhores vídeos do dia

"Nunca me ocorreu que um seadragon poderia faltar apêndices porque eles são caracterizados por suas folhas de camuflagem bonita", observou Josefin Stiller, bióloga marinha e coautora do novo estudo publicado na revista Marine Biodiversity Records.

Josefin disse acreditar que o mar australiano abriga diversas espécies que ainda não foram identificadas pelo homem.

"Tantas descobertas ainda nos aguardam no sul da Austrália. A Austrália Ocidental tem uma variedade tão diversificada de habitats, e cada um merece atenção", declarou.