Um homem de 52 anos, que não teve seu nome publicado, contraiu Febre Amarela na zona rural de Ribeirão Preto, cidade do interior de São Paulo. O paciente procurou assistência no sistema público de saúde do município, porém, apesar de estar internado há quatro dias, veio a falecer no dia 26 de dezembro.

Foi confirmado, no dia 3 de janeiro, última quarta-feira, pelo Instituto Adolfo Lutz, a morte decorrente da febre amarela. Esta é a segunda morte por febre amarela confirmada no ano de 2016 no estado de São Paulo.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Saúde

Em abril, em Bady Bassit, região de São José do Rio Preto, outro indivíduo de 38 anos também morreu em decorrência da mesma doença.

Os casos são associados a regiões de mata em que haja macacos infectados pela febre amarela.

Em ambos os casos, os pacientes estiveram em áreas de risco. Durante o período de julho de 2014 a dezembro de 2016, foram registrados mortes de primatas infectados em onze municípios da região de Ribeirão Preto e São José do Rio Preto.

Segundo o Ministério da Saúde, durante os anos de 2014 e 2015, não foram registradas mortes de pacientes em decorrência da febre amarela no estado de São Paulo.

Campanha de Vacinação

A transmissão é feita pela picada do mosquito Aedes aegypti, em sua versão silvestre, e não pelo macaco diretamente. Esta é uma doença comum em regiões de matas e florestas do Brasil, não é possível sua erradicação. A Secretaria de Saúde faz um controle através de recolhimento de macacos para verificar se estão, ou não, infectados pelo vírus. Desta forma, é feito um controle da circulação viral na região.

Os melhores vídeos do dia

A melhor forma de prevenção da doença é a vacinação preventiva, que pode ser feita nos postos de saúde. A Secretaria da Saúde intensificou as vacinações, principalmente nas regiões rurais. Foram aplicadas cerca de 40 mil vacinas no último trimestre, estando 95% das crianças imunizadas. A maior preocupação é com adultos e idosos, como os indivíduos infectados que não haviam sido vacinados.

A vacinação pode ser feita nas unidades de saúde do município sem necessitar agendamento prévio.