A linguagem do corpo nem sempre é compreendida por todas as pessoas, porém, essa linguagem, transmite inúmeras informações que são de grande valor e podem ser de muita utilidade no tratamento ou até mesmo na prevenção de doenças.

Muitas pessoas não sabem o que pode causar os temidos #Cistos no ovário. A causa deles é relacionada a problemas com equilíbrio hormonal ou seja, o desequilíbrio hormonal pode provocar o aparecimento desses cistos. Os cistos podem surgir a qualquer tempo na vida de uma #Mulher e é muito comum que eles comecem a surgir quando as mulheres estão passando pela fase reprodutiva. Eles têm uma aparência semelhante a saquinhos cheios, porém, pequenos.

Muitas vezes, eles acabam desaparecendo sem que a mulher precise se submeter a qualquer tipo de tratamento. Porém, é muito importante que, ao notar um cisto, a mulher procure auxílio médico, pois se eles não forem tratados corretamente, eles podem crescer e provocar dores desconfortáveis e, em alguns casos raros, a falta de tratamento pode permitir que esses cistos desencadeiem a origem a um câncer.

É preciso que a mulher fique atenta a alguns sinais, para que, dessa forma, ela possa procurar acompanhamento profissional o mais rápido possível. Vômitos ou náuseas, ganho de peso, dor durante a relação íntima, menstruação dolorosa ou sangramento anormal, necessidade frequente de urinar e dificuldade em urinar são os principais sintomas.

Em mulheres que já entraram na menopausa, os cistos no ovário podem provocar sangramentos.

Os melhores vídeos do dia

Tratamento alternativo

Há alguns anos, a ginecologista Regina Saraiva, durante uma entrevista, revelou que existem alguns tratamentos fitoterápicos que podem ajudar.

De acordo com Regina, os medicamentos fitoterápicos ajudam a normalizar o ciclo e também atuam para diminuir o espessamento da cápsula ovariana. Segundo a ginecologista, é exatamente isso que permitirá que a ovulação aconteça. A doutora fez uma observação e afirmou que o tratamento feito à base de ervas não tem efeito tão rápido quanto os convencionais. Ela ainda disse que os tratamentos à base de pílulas anticoncepcionais são os mais recomendados para esse caso, porém, eles são evitados por muitas mulheres devido aos efeitos colaterais causados por eles. Regina Saraiva ainda disse que o período de tratamento é variável e a duração do tratamento fitoterápico depende dos hábitos da paciente, do organismo dela e da gravidade do problema.

Vale ressaltar que a pessoa precisa ter um acompanhamento médico e ele quem determinará qual será o melhor tipo de tratamento para essa pessoa.

Lembre-se de deixar o seu comentário. Sua opinião é muito importante para a nossa equipe e ajuda a debater temas com relevância para a sociedade. #Saúde