A explicação fornecida pelos quadrinhos - e materiais neles inspirados como filmes e desenhos animados - para os poderes literalmente sobre-humanos de super-heróis como Homem-Aranha, os X-Men e o Hulk é a ideia de mutação genética. Embora na vida real, mutações genéticas, ou seja, alterações, erros na replicação do código genético não deem superpoderes a ninguém, elas podem, sim, criar características realmente surpreendentes. A seguir, estão citadas algumas das mutações que mais chamaram a atenção dos pesquisadores:

1 - O caso do garoto egípcio

A ciclopia é um defeito congênito, que, como o nome indica, faz com que o indivíduo nasça com um olho só, como os ciclopes da mitologia da Grécia Antiga. É uma condição rara e dificilmente a criança vive muito, mesmo que nasça viva. Uma mulher deu à luz em 2015 a uma criança com essa mutação.

Publicidade
Publicidade

2 - A mutação do atleta Eero Mäntyranta

O esquiador finlandês Eero Mäntyranta, falecido em 2013 e ganhador de sete medalhas em Olimpíadas de Inverno, tinha uma vantagem congênita sobre seus competidores: uma mutação genética permitia que seus glóbulos vermelhos transportassem uma quantidade de oxigênio cinquenta por cento superior ao normal, dando-lhe maior resistência física.

3 - A mutação de Isaac Brown, o menino que não sente dor

Algumas pessoas poderiam até imaginar que ser incapaz de sentir dor seria uma maravilhosa vantagem.

Mutações reais que desafiam os cientistas
Mutações reais que desafiam os cientistas

Bom, o lado bom disso seria não sentir dor, claro. O lado negativo da situação é que a dor serve como um aviso de que algo está errado no organismo. Não sentir dor é não ter esse vital mecanismo de alerta. O pequeno Isaac Brown tem oito anos de idade e nasceu com analgesia congênita, condição causada por uma mutação genética que o impede de sentir dor. Ele já chegou a enfiar a mão em um forno ligado e a segurar a parte cortante de um copo de vidro quebrado.

Publicidade

4 - A mutação de Gabby Williams

A menina Gabby Williams envelhece aproximadamente um ano a cada quatro que passam. Aos nove anos de idade, seu corpo e sua mente são como o da típica criança de dois anos. Sua condição é raríssima a ponto de não haver um nome para ela. Acredita-se que a causa seja uma mutação genética, cuja compreensão poderia realizar o sonho de imortalidade física (ou pelo menos extrema longevidade) realidade.

5 - A mutação Liam Hoekstra

Assim como o Super-Homem, o garoto Liam Hoekstra, nascido em 2005, é filho adotivo.

Essa não é a única semelhança entre ele e o icônico herói dos quadrinhos. Devido a uma raríssima mutação que impede seu organismo de produzir a proteína responsável por interromper o desenvolvimento dos músculos, o rapaz tem bastante massa muscular e é bastante forte.

Leia tudo e assista ao vídeo