Se você tem a sorte de estar livre do mau hálito, pelo menos deve ter cruzado com alguém que sofre desse problema, conhecido como halitose. O mau cheiro incomoda mais a pessoa ao lado do que quem tem halitose, porém é mais sério que isso. O mau hálito pode esconder doenças mais sérias como diabetes e até mesmo problemas cardíacos, ou seja, o coração de quem sofre de halitose pode estar comprometido.

De acordo com a ABHA (Associação Brasileira de Halitose), cerca de 30% da população brasileira sofre com o mau hálito. Nesta sexta-feira (21), é comemorado o Dia Nacional de Combate ao Mau Hálito e aproveitando a data, muitos profissionais estão prestando serviços à comunidade através de entrevistas em rádio, TV, jornais e sites de notícias.

Um desses profissionais é o dentista e especialista em ciências dentais, Mario Groisman, que afirmou em reportagem publicada no portal R7, que por meio do mau cheiro na boca, o médico pode identificar os mais variados sinais e alertas relacionados à saúde. [VIDEO]

Groisman falou sobre as maiores causas e explicou como combater a halitose, que em algumas regiões do país é chamada de bafo. Segundo ele, o paciente com Diabetes tem um hálito com mais ureia, ou seja, uma substância que é produzida pelo fígado, depois que é feita a digestão de proteínas. Para ele, isso é comum em uma pessoa que está com o nível de glicose considerado bem abaixo da normalidade. A mesma coisa também acontece em pessoas que ficam muito tempo em jejum. Entretanto, a pessoa com doença periodontal, que afeta a gengiva e os ossos, geralmente tem uma correlação muito forte com a endocardite bacteriana, que é uma doença infecciosa que afeta o coração.

Os melhores vídeos do dia

Muitos especialistas esclarecem que são conhecidos mais de 60 fatores que podem modificar o cheiro da boca. Entre esses fatores, um dos mais conhecidos é a saburra lingual, uma placa bacteriana esbranquiçada que se forma no fundo da língua, mas algumas vezes pode ser amarelada ou amarronzada. Ainda existem muitas outras causas relacionadas à saburra lingual como doenças metabólicas como o hipertireoidismo e insuficiência renal, além de cáries, bulimia e leucemia. Segundo o especialista, esse problema também acomete pessoas com alto nível de stress e idosos que fazem uso de antidepressivos.

Segundo a ABHA, ao contrário do que se pensa, aproximadamente 90% das causas de halitose se originam na boca e somente 2% no estômago. O dentista afirma que, além de tratar as cáries e a doença periodontal, é preciso higienizar corretamente a boca, bem como realizar um acompanhamento médico de forma periódica. Além dos cuidados normais com a higiene bucal, é preciso ficar atento às doenças mascaradas pela halitose, como diabetes e problemas do coração,