Henzo Gabriel Mariano teve o diagnóstico de um tipo raro de câncer no olho chamado retinoblastoma quando ia completar 1 ano de idade. Por conta da tumor, Henzo estava com a cirurgia para retirada do olho esquerdo marcada, quando os pais descobriram a possiblidade de tratamento da doença através de quimioterapia e conseguiram manter o olho do filho.

O retinoblastoma é um tipo de câncer raro e gravíssimo que se desenvolve na retina e atinge principalmente as crianças na primeira infância [VIDEO]. Segundo o Ministério da Saúde, 1 em cada 14 mil crianças estão suscetíveis a doença, que pode se manifestar nos primeiros cinco anos de vida, ou ser congênito, o que ocorre em 40% dos casos.

No Brasil, todos os anos ao menos 400 crianças são diagnosticadas com o tumor.

Jessica Karla da Silva, de 25 anos, diz que notou a coloração diferente no olho do filho Henzo sempre que batia o reflexo de uma luz. Orientada por suas tias, resolveu procurar um Médico. A mãe, então, marcou uma consulta com um oftalmologista, que informou que seu filho não enxergava com o olho esquerdo e a aconselhou a procurar imediatamente um oncologista infantil. Jessica afirma ainda que não parecia que o filho não enxergava, pois, ele fazia todas as atividades normalmente.

Após procurar um oncologista infantil, Jessica teve a confirmação do diagnóstico de retinoblastoma. Como Tratamento proposto era a retirada do olho esquerdo de Henzo, a mãe decidiu ir atrás de uma segunda opção e foi a procura da Associação para Crianças e Adolescentes com Câncer (Tucca), onde soube da existência do tratamento alternativo com quimioterapia.

Henzo realizou um tratamento no Tucca chamado intra-arterial, que é uma quimioterapia menos invasiva, na qual é administrada doses menores de medicação e possui menos efeitos colaterais.

O pediatra responsável pelo Tucca, Sidnei Epelman, explicou que, apesar de ser um tratamento com menos efeitos colaterais, Henzo apresentou problemas respiratórios na primeira sessão e teve uma pneumonia, o que fez com que o garoto ficasse internado por 32 dias. As outras sessões foram mais tranquilas e ele apresentou apenas queda de cabelo e enjoos.

Após finalizar o tratamento, Henzo vem sendo acompanhado e até o momento não existem indícios de que o câncer tenha voltado. Inclusive, ele recuperou parte da visão perdida no olho esquerdo.

O diagnóstico precoce é fundamental para o sucesso no tratamento, bem como para que se possa preservar a visão da criança, afirma o médico.