O jejum intermitente consiste em limitar a ingestão de alimentos a um período de 12 a 20 horas do dia. Ele ficou famoso após a atriz Deborah Secco afirmar que chegou a ficar 23 horas sem se alimentar para eliminar todos os quilos que ganhou na gravidez. Sabrina Sato também realizou a dieta para a sua preparação para o carnaval e a atriz Juliana Paes também. O período de alimentação é chamado de janela alimentar. Esse método não é novo e há até um estudo de 1973 em que um homem ficou 382 dias sem se alimentar e emagreceu [VIDEO]122 quilos.

Na hora de se alimentar, as proteínas e verduras estão liberadas, incluindo alimentos como as carnes, ovos, queijos, leite e as folhas.

Qualquer tipo de doce ou massa está proibido!

A dieta surgiu em meados de 2003, criada pelo médico Michael Mosley. Sua proposta é diferente e mais elaborada, se define em ficar cinco dias mantendo uma alimentação normal, com todas as refeições sendo realizadas, e dois dias de 500 calorias diárias.

Realizou também uma sequência de jejuns com intervalos de 16h e 18h, com praticamente nada de calorias. Ou seja, uma dieta completamente diferente da alimentação 'normal' feita de 3 em 3 horas sugerida na maioria das vezes. Seu foco principal é priorizar a comida mais natural possível, para que não ocorra retenção de líquido.

Um dos mitos do emagrecimento é a necessidade de se alimentar de três em três horas ao longo do dia. Estudos comprovam que isso é um mito e não há vantagem em realizar refeições pequenas com mais frequência.

O jejum intermitente pode ser uma estratégia mais útil.

As nutricionistas Hannah Médici e Juliana Dantas explicam, abaixo, como ele funciona corretamente:

Não consumir nenhum alimento ou líquido durante o período de jejum: mito

É mais do que certo que entre os intervalos das refeições tenha o consumo de água ou de qualquer chá natural [VIDEO](sem açúcar ou adoçante) para que o corpo se mantenha sempre hidratado.

A dieta diminui o nível de gordura no fígado e no sangue: verdade

“Ao passarmos por horas e mais horas sem nos alimentarmos, nosso corpo ativa um mecanismo de geração alternativa de energia, que libera os hormônios que são usados para transformar gordura em total energia. Quando isso acontece, diminui a gordura localizada e também a gordura que temos no sangue e no fígado, pois passará a ser usada como fonte de energia”, explica a endocrinologista Mariana Farage Martins.

Pode se exercitar durante a dieta: verdade

O certo a se fazer é realizar atividades físicas junto à próxima refeição.

Pode ser feita por qualquer pessoa: mito

Existem algumas restrições para quem pode fazer essa dieta. "Não é indicada para pessoas com diabetes por conta da hipoglicemia que pode ser causada por conta do longe período sem se alimentar. Também não é aconselhável para os adolescentes, crianças, idosos e gestantes pela pouca quantidade de nutrientes ingeridos", explica Cynthya.

Quando se fazer uma dieta radical, a perda de massa magra é alta: mito

“É normal que em toda dieta você elimine alguns quilos. Principalmente no início, quando o corpo ainda está se adaptando com o baixo nível de alimento sendo engerido. Depois um certo período, o organismo se adapta e passa a queimar muita gordura para transformá-la em energia e evitar, assim, o consumo da massa magra”, afima a endocrinologista Mariana Farage Martins.