Uma doença tem causado aflição em muita gente. Estamos falando do TOC - Transtorno Obsessivo Compulsivo - que atinge oito milhões de brasileiros, incluindo algumas celebridades [VIDEO].

O distúrbio afeta a Saúde das pessoas, causa desconcentração e cria vícios em tópicos específicos. O psiquiatra Leonardo Fontenelle comentou que o distúrbio pode ser uma falha genética com fatores ambientais. Por exemplo: situações como traumas no parto, abusos e até mesmo infecções adquiridas.

De acordo com pesquisas feitas por várias universidades, num apoio coletivo, no qual 1.001 portadores da doença foram entrevistados e estudados, notou-se que eles sentem um desconforto na parte mental.

Conforme os dados, 68% sofriam de depressão, 63% de ansiedade e 35% de fobia social.

Um fato surpreendente é que um terço dos entrevistados já pensaram em se suicidar e 10% chegaram a tentar o suicídio.

Famosos que têm a doença

Alguns famosos [VIDEO] foram alvos dessa doença e admitem lutar para vencer as aflições que o distúrbio causa. O cantor Roberto Carlos, rei da música brasileira, possui alguns sintomas que refletem bem o distúrbio psiquiátrico. Ele evita certas cores escuras, como por exemplo, o marrom. Até mesmo a música "Negro Gato" ele retirou do repertório. Sua cor preferida é azul. Essa não pode faltar de jeito nenhum na sua vida.

David Beckham, um dos mais renomados jogadores de futebol, tinha certas atitudes que o tornava vítima de situações específicas e que eram necessárias para ele se controlar mentalmente.

Quando o jogador chegava aos hotéis, ele alterava o quarto da forma que lhe convinha melhor. Os seus pertences eram guardados em pares.

O ator Daniel Radcliffe, que fez grande sucesso ao dar vida ao personagem do bruxo Harry Potter, costumava repetir duas vezes tudo o que falava. Até para apagar uma lâmpada, o ator já chegou a demorar cinco minutos.

Outro caso de Famosos que são vítimas do distúrbio é o da modelo e atriz Luciana Vendramini. Ela teve momentos intensos do TOC. Por incrível que pareça, ela chegou a ficar parada por 26 horas embaixo de um fio de alta-tensão e as vezes, seus banhos demoravam até dez horas.

Preconceito

Um fator que preocupa os especialistas e as pessoas que têm a doença é o preconceito que existe. A maioria das pessoas costuma rir desse tipo de situação e fazer várias piadas. Vale ressaltar que se livrar desse tipo de distúrbio não é fácil. É uma doença de difícil superação.