A atriz Claudia Rodrigues, de 46 anos de idade, sempre foi conhecida por suas atuações em programas da televisão brasileira. Com um humor ímpar, a humorista ficou famosa ao interpretar a diarista no seriado de mesmo nome que ia ao ar na emissora carioca Rede Globo.

Desde 2010, quando foi diagnosticada, [VIDEO] a atriz luta contra uma doença grave e silenciosa chamada esclerose múltipla. A doença levou a atriz para altos e baixos. [VIDEO] Recentemente, ela estava internada em uma clínica de recuperação no interior paulista, após realizar um transplante de medula óssea na tentativa de amenizar os sintomas e retardar a evolução da doença.

Cegueira poderia acontecer a qualquer momento

Há cerca de 10 dias a atriz foi levada às pressas para São Paulo para ser internada no hospital israelita Albert Einstein. Tudo começou após a atriz observar que seu olho estava extremamente inchado e que praticamente não conseguia abri-lo.

Os médicos diagnosticaram Cláudia com uma infecção viral causada pelo vírus da varicela zoster, o mesmo que causa a catapora em muitas crianças. Nessa sexta feira (24), após tratamento intensivo e diversas avaliações de médicos oftalmologistas, a atriz divulgou um vídeo, onde disse que está se recuperando e espera ter alta hospitalar em breve.

Doença traiçoeira, não tem cura, mas deve ser diagnosticada cedo para melhor controle dos sintomas

A esclerose múltipla é uma doença que afeta o sistema nervoso central.

Nessa doença o sistema imunológico da pessoa entende que células saudáveis do sistema nervoso são células intrusas e começa a destruí-las de forma rápida e agressiva. A doença afeta tanto o cérebro, como a coluna e os nervos ópticos, que são responsáveis pela visão de uma pessoa.

Os sintomas no início da doença podem aparecer de forma esporádica ou não. No início, muitas vezes o diagnóstico é difícil. Alguns sintomas que merecem atenção são:

- Visão turva ou dupla

- Fadiga

- Formigamentos no corpo

- Espasmos musculares

- Depressão

- Dor crônica

- Falta de equilíbrio

- Incontinência urinária

- Dificuldade para andar

- Fraqueza nos membros

- Dormência

- Coceira

Outros sintomas podem ser observados. No final da evolução da doença a pessoa pode já não mais conseguir andar, falar, comer (deglutir) e enxergar. O sistema imunológico pode afetar qualquer parte do sistema nervoso central. Por isso, os sintomas podem variar tanto.

A doença pode evoluir de forma lenta ou aguda, com a presença de surtos. Não existe cura hoje para os doentes com esclerose múltipla. O diagnóstico no início da doença pode ajudar a retardar a evolução da mesma, oferecendo mais qualidade de vida para essas pessoas.