É apenas uma questão de tempo. A população da Terra precisará fugir do planeta em busca de um novo lugar para morar, se quiser escapar da extinção. O alerta sombrio foi dado por ninguém menos que o famoso astrofísico Stephen Hawking, um dos cientistas mais consagrados da atualidade, em uma declaração polêmica ao portal norte-americano 'Wired'.

Hawking é categórico: a era dos humanos como seres dominantes na Terra está no fim. Para ele, a sobrevivência da humanidade dependerá da capacidade da raça se transformar em uma espécie ‘multiplanetária’.

‘O gênio escapou da garrafa’

O motivo da ameaça apontada por Stephen Hawking vai além do aumento da população global, hoje em 7,6 bilhões.

O verdadeiro apocalipse, segundo ele, está escondido atrás do desenvolvimento da chamada Inteligência Artificial (IA). Em outras palavras, "o gênio está fora da garrafa", ou seja, a capacidade de raciocínio que a tecnologia está dando às máquinas escapará do controle. E, quando isso acontecer, o perigo será tamanho que elas, as máquinas, serão capazes de substituir os humanos por completo, prediz Hawking.

Mundo robotizado

Segundo declarações recentes de Stephen Hawking ao jornal britânico 'The Times', a evolução acelerada das tecnologias de Inteligência Artificial (IA) terá um impacto tão devastador capaz de dizimar a oferta de vagas de emprego ocupadas por trabalhadores da classe média.

Os mais céticos não concordam com as previsões feitas pelo astrofísico britânico. Porém, o fato é que as máquinas inteligentes já estão acabando com os empregos através das funções automatizadas nas grandes indústrias, nos hospitais ou simplesmente costurando roupas bem mais depressa....

Os melhores vídeos do dia

Aliás, há previsões indicando que, nas próximas duas décadas, quase metade dos empregos irá desaparecer.

Países como Estados Unidos e Rússia não param de pesquisar aplicações de IA para fins militares.

Sem falar no caso da Arábia Saudita, que concedeu a primeira cidadania oficial de um país a um robô. Trata-se de Sophia, que ficou famosa no mundo todo ao dizer que 'possuía alma' e que 'destruiria os humanos'.

Veja a desenvoltura de Sophia em vídeo:

Ameaça real?

O físico chegou a pedir a proibição total do desenvolvimento de agentes de IA destinados ao uso militar. E sugeriu a criação de alguma forma de governo mundial necessária ao controle de tamanha inovação [VIDEO] em andamento. Objetivo: evitar o que classificou de ‘Apocalipse IA’.

Outros especialistas como Elon Musk (SpaceX e Tesla) e Bill Gates (Microsoft) concordam com Stephen Hawking que a Inteligência Artificial tem, sim, o potencial de extinguir a humanidade da Terra.

Porém, também há pesquisadores que descartam esse cenário apocalíptico, consideram esse debate inócuo e sustentam que ele distorce a questão da Inteligência Artificial.

Muitos preferem acreditar que as máquinas inteligentes poderão apenas inaugurar uma nova era de colaboração com os seres vivos.

Mas se uma pessoa é capaz de produzir um vírus de computador, alguém também não conseguirá projetar uma IA capaz de evoluir e replicar? E essa nova forma de existência não poderia pensar melhor e mais rápido? Algo não poderia sair errado e transformar-se em ameaça, superando a nossa espécie no planeta?

Para Stephen Hawking a resposta é... sim!

E dentro de alguns séculos [VIDEO], segundo ele, a humanidade vai precisar, inevitavelmente, abandonar a Terra e colonizar outros planetas para não desaparecer.