De acordo com uma reportagem do dia 17 de novembro da CNN, há estudos científicos que comprovam que ter um cachorro aumenta a longevidade.

Os benefícios de ter um cachorro já são bem claros: atividade física, companheirismo, companhia, mas não é apenas isso. Ter um cão pode, literalmente, salvar uma vida!

Um estudo publicado na sexta-feira (17) em um jornal científico da Suécia, o Scientific Reports, afirma que possuir um cãozinho está diretamente relacionado com diminuição do risco de um ataque cardíaco e morte.

Para quem mora sozinho e tem um cachorro, o risco de morte é reduzido em 33% e o risco de ter uma doença cardiovascular é reduzido em 36%, quando comparados com indivíduos que moram sozinhos mas não tem um bichinho de estimação. As chances de ter um ataque cardíaco também são diminuídas em 11% para os donos de Animais.

Quem mora sozinho

Quem vive em família também é beneficiado ao ter um cachorro. Dentre esses, foi detectado que as chances de ter uma doença cardiovascular diminuem em 15%, as chances de morte diminuem em 11%, todavia, não foi detectada nenhuma diferença com relação a ataques cardíacos para quem tem um animal ou não tem, nesse grupo.

“Uma descoberta interessante em nossos estudos é a de que as pessoas que moram sozinhas são mais beneficiadas quando têm um cachorro do que as que vivem em família”, afirmou o Mwenya Mubanga, autor do estudo e PhD na Uppsala University.

Quem vive em família

A diferença é atribuída ao fato de que, em família a convivência e a interatividade entre si já é suficiente para diminuir as taxas de morte e de riscos de ataques cardíacos, enquanto que uma pessoa que mora sozinha, encontra tudo isso em um animal de estimação.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Animais Ciência

Outro dado interessante é que os donos mais beneficiados são os da raça de cães caçadores, como os terriers e retrievers em termos de ataques cardíacos reduzidos, de qualquer forma, independente da raça do animal, só o fato de tê-los já reduz o risco de morte no percentual acima citado, afirma Tove Fall, professor especialista em epidomologia, na Uppsala University.

Sobre o estudo

O estudo foi realizado em mais de 3,4 milhões de indivíduos suecos, com idade entre 40 e 80 anos, pelo período de 12 anos.

“Sabemos que ter um cão aumenta a quantidade de exercício físico feito pelo dono em passeios e brincadeiras, o que poderia ser uma das muitas explicações para os resultados obtidos”, afirmou Fall. A interação com o animalzinho vai desde conversar às caminhadas. Todas trazem benefícios cientificamente amparados e mostrados no estudo.

“É possível que esse estudo encoraje os donos de cachorro a ter vida social, o que por si só reduz o estresse.

Também se sabe que a relação social e afetiva entre dono e cachorro é a principal causa de redução de doenças cardiológicas e ataques cardíacos.” Disse a dra. Rachel Bond, diretora associada do Centro de Saúde Cardíaca da Mulher, no Lenox Hill Hospital, em New York.

Há mais para ser revelado

Os estudos ainda continuam porque, é sabido pelos cientistas que ainda há mais benefícios de saúde, além dos citados, para quem possui um animal de estimação.

Eles ainda não têm o suficiente para publicar, mas seguem em pesquisas.

O que concluímos disso, caro leitor? Você possui um animalzinho de estimação? Escreva nos comentários abaixo o seu ponto de vista. Ele é muito importante para o crescimento de todos nós.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo