O nascimento de uma criança é motivo de muita espera e de muita expectativa para toda a família. Os pais ficam extremamente ansiosos e se planejam nos mínimos detalhes de como receber o pequeno que logo chegará no lar da família. Durante os primeiros dias de vida do novo membro da família, é comum a visita de inúmeras pessoas que vão à casa da recém mamãe para dar as boas vidas ao recém nascido. Nessas visitas é comum que os familiares e amigos carreguem o bebê, dando beijos e carinho. É nessa atitude singela e carinhosa que mora um grande perigo.

O recém nascido tem o sistema imunológico ainda em formação, o sistema imunológico é o sistema responsável por defender o corpo humano de agressões externas e internas como microrganismo e infecções oportunistas.

Quando manipulamos uma criança que ainda está com o sistema imunológico em formação e ainda não tomou as principais vacinas do calendário vacinal, estamos colocando essas crianças em risco. O grande perigo está em dar beijos por exemplo, pois a boca do adulto é um local repleto de microrganismos que, apesar de inofensivos para os adultos, podem levar os bebês a morte. As doenças que podem ser transmitidas são as mais variadas possíveis, mas a meningite é uma das mais temidas, pois se trata de uma doença que pode causar sequelas graves, quando não causa a morte da criança contaminada.

Recentemente nos Estados Unidos, uma família foi abalada com a morte da pequena Mariana que tinha 18 dias de vida. Segundo informações inicialmente divulgadas na imprensa local, a pequena menina estava saudável quando foi beijada por um familiar que transmitiu o vírus da herpes para a pequena Mariana.

O vírus ganhou a corrente sanguínea da menina e chegou até o sistema nervoso central, causando um quadro de meningite ou encefalite, que com uma evolução rápida, acabou levando Mariana à morte no hospital Blank Children's nos Estados Unidos.

Os pais de Mariana ficaram consternados com o ocorrido [VIDEO]e na página de uma rede social na internet, a mãe de Mariana desabafou dizendo que a pequena havia ganhado asas e que em apenas dezoito dias de vida havia mudado a vida deles. No texto, a mãe de Mariana ainda acrescenta que esperava que a história de sua filha pudesse ajudar outras pessoas a evitar o que ocorreu com sua recém nascida.

Segundo alguns médicos, o vírus pode ser transmitido por contato com as mãos contaminadas, com respiração próxima e não necessariamente com um beijo.

Todo cuidado é necessário!