A Tuberculose continua fazendo vítimas pelo mundo, em relatório divulgado sobre o tema, em 2017, a Organização Mundial de Saúde [VIDEO] (OMS), informou que um ano após a patologia superar a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida [VIDEO] (AIDS), ela provocou o falecimento de 1,7 milhão de pessoas; 374.000 delas, apresentavam as duas enfermidades.

Para que haja a extinção dos casos de TB e o cumprimento do calendário traçado pela comunidade médica internacional, que visa alcançar este objetivo até o ano de 2030, é necessária a diminuição do registro de mortos e contaminados. A cada 365 dias, ocorre uma redução de 3% nas fatalidades e 2% nos diagnósticos desta doença infecciosa.

O ideal para que se atinja a meta que coloca um ponto final na Tuberculose, aumentar o índice de sobreviventes e reduzir a incidência dos casos, é diminuir a margem para aproximadamente 10% anualmente, chegando a subtrair 90% dos casos mortais, e 80% da contaminação, extirpando a moléstia do convívio da humanidade.

Um problema que se agrava durante o passar do tempo, é a resistência de determinadas bactérias a alguns antibióticos, de acordo com os dados fornecidos pela OMS, 600.000 situações de inutilidade da aplicação do medicamento, rifampicina, ocorrerão em 2017, destes, 490.000 permanecerão inalterados, também com a aplicação de outros remédios. A expectativa dos especialistas na área, em relação ao futuro, é que em 2050 as doenças bacterianas superem o Câncer na taxa de mortalidade, devido à imunidade dos microrganismos aos fármacos.

A TB ataca normalmente os pulmões, a responsável pela agressão é a bactéria Mycobacterium tuberculosis, identificada em 1882, por Robert Kock, por isso é conhecida como “Bacilo de Kock”. Pessoas que têm maior probabilidade de contraí-la são, fumantes, diabéticos, soropositivos, usuários de drogas e álcool.

Sintomas

Dor no Tórax, cansaço rotineiro, perda de peso, tosse por mais de três semanas, pouco apetite e catarro esverdeado, amarelado ou com sangue.

Formas de Transmissão e Tratamento

O contágio acontece através do espirro, da tosse e da fala de quem contraiu a enfermidade, ou pelos seus objetos e vestimentas; os bacilos transmissores podem permanecer vivos por até 8 horas. Para tratar a Tuberculose quatro substâncias são aplicadas em dois meses: etambutol, isoniazida, pirazinamida e rifampicina, nos quatro meses seguintes, apenas a isoniazida e a rifampicina são administradas no paciente, em algumas ocorrências mais difíceis, a internação hospitalar é feita.