Nessa última semana foi publicado na revista Nature, um artigo sobre um novo dinossauro um tanto diferente dos demais já descobertos. Trata-se de um Halszkaraptor escuillinei, que foi encontrado na Mongólia.

Esse dinossauro apresentava um bico de pato com dentes de crocodilo, braços adaptados para nadadeiras com garras de velociraptor, pernas longas como as de um avestruz com mais garras afiadas, além de uma cauda longa. Também conseguia nadar e se alimentar de peixeis igual fazem os atuais pinguins.

Pode parecer mentira, mas esse animal realmente existiu e o Fóssil desse bizarro dinossauro foi recentemente descoberto para provar a sua existência.

A grande descoberta

Antes de chegar nas mãos dos paleontólogos para poder ser estudado, o fóssil do Halzie (apelido carinhoso de Halszakaraptor escullinei) foi primeiro encontrado em uma escavação na cidade de Ukhaa Tolgad e, após isso, foi contrabandeado e vendido para diversos colecionadores de vários países, como Japão, Reino Unido e França.

Apenas em 2015 passaram a pertencer aos paleontologistas, que iniciaram seus estudos sobre o novo dinossauro.

No início, todos eles desconfiaram que o fóssil fosse falso, pois um animal com tais características é algo realmente difícil de acreditar que veio a existir. Então, eles decidiram realizar vários testes utilizando o que há de mais avançado.

O ESRF (European Synchroton Radiation Facility - Instalação de Radiação Síncotron Europeia, em tradução livre) funciona com a tecnologia de microtomografia de múltiplas resoluções de raio-X, que permitiu que fosse feita uma análise precisa e detalhista do fóssil do novo dinossauro sem haver a necessidade de destruí-lo durante o processo.

Graças a essas análises e estudos, foi comprovada a veracidade do fóssil de Halszakaraptor escullinei, permitindo a publicação do artigo na revista Nature.

Como vivia o Halszakaraptor escullinei?

De acordo com suas características e os vários estudos feitos a respeito do seu fóssil, os cientistas conseguiram descobrir muitas informações sobre como vivia esse dinossauro.

Halzei viveu no período Cretáceo, entre 71 e 74 milhões de anos atrás, tinha cerca de 1,20 metro de altura e vivia onde hoje é a Mongólia. Ele possuía hábitos carnívoros e se alimentava, principalmente, de peixes.

Dotado de um pescoço longo semelhante ao de um cisne e dentes afiados, também possui um plexo (conjunto de nervos interconectados) parecido com o de crocodilos. Todas essas características permitiam a ele poder caçar presas rápidas e escorregadias como peixes e outros animais aquáticos.

Vivia bem tanto na terra quanto na água, sendo um dos únicos dinossauros que possuem hábitos de vida dupla.

Infelizmente, alguns poucos milhões de anos após o seu surgimento, ocorreu a extinção dos dinossauros, e este belo e esquisito animal deixou de povoar o planeta.