O formato da genitália masculina pode ser muito mais preocupante do que o seu tamanho. Supostamente, a forma do órgão pode ser um sintoma de câncer, e esse pode ser, aliás, um dos mais importantes alertas, para evitar a doença, ou pelo menos se precaver enquanto ainda é tempo.

Apesar de não ser um tema muito falado, as partes mais íntimas do homem [VIDEO] não têm todas a mesma forma, e nem sequer é o tamanho que está aqui em causa. No caso, é mesmo a curvatura que pode fazer a diferença. Assim, de acordo com novas pesquisas, os homens cujo órgão íntimo é curvo poderiam ter um risco aumentado de sofrerem de câncer.

Doença de Peyronie

Muitos homens têm uma ereção ligeiramente dobrada, com o órgão curvado para a esquerda ou para a direita e, na maior parte dos casos, isso é completamente normal.

Porém, se o órgão curvar mais de 15 graus, isso pode ser um sinal de que ele está sofrendo de doença de Peyronie, que está afetando um a cada 20 homens ingleses, de acordo com o jornal Daily Star.

A doença de Peyronie é uma alteração do órgão íntimo que provoca o crescimento de placas de fibrose duras em um dos lados, fazendo com que se desenvolva uma curvatura anormal, o que pode dificultar a ereção e o contato íntimo. De acordo com o médico Seth Rankin, a doença pode provocar ereções dolorosas e, por vezes, mas nem sempre dá para ver por essa curva no órgão reprodutor.

Relação com o câncer

De acordo com uma nova pesquisa, os especialistas encontraram uma provável ligação [VIDEO] entre este problema e algumas formas de câncer. Nesse estudo, os médicos especialistas acompanharam os homens do estudo durante nove anos.

Ao todo, foram quase dois milhões de homens que foram completamente rastreados durante todo esse tempo, daí eles acreditarem que esse estudo tem imensa validade.

Como resultados, eles descobriram, naturalmente, homens com e sem a doença de Peyronie. Enquanto alguns se mantiveram com seus membros reprodutores perfeitamente saudáveis durante os nove anos, outros acabaram sofrendo de doenças, como o Peyronie e também a disfunção erétil.

Porém, os pesquisadores descobriram que os homens com essa doença de Peyronie tinham 43% de mais chances de sofrerem com câncer. Curiosamente, não foi só o câncer testicular que foi registrado nessa pesquisa. Aliás, o mais frequente foi mesmo o do estômago, com os referidos 43%. Um pouco mais abaixo, é que aparece o câncer testicular, que afetou 39% dos homens que sofreram com essa doença de Peyronie.

Segundo a pesquisa, 19% contraíram câncer de pele mais propensos a serem atingidos com câncer de estômago, 39% mais propensos a desenvolverem câncer testicular e 19% mais chances de contraírem câncer de pele.

Diagnóstico cedo pode fazer a diferença

Os médicos estão alertando para esses sintomas, que podem ser preocupantes. No entanto, se essa condição for diagnosticada antecipadamente, a pessoa deve realizar exames com uma maior regularidade. Afinal, quando se trata de câncer, ser diagnosticado no início pode realmente significar a diferença entre a vida e a morte, daí a importância desses sintomas.