O mês de dezembro iniciou com uma terrível notícia para os brasileiros: a Aids está aumentando entre os jovens no Brasil. [VIDEO]E o pior de tudo isso é que a doença está aumentando justamente entre os adolescentes, aqueles que estão iniciando a vida sexual. É preciso muito cuidado com isso. É preciso que pais e educadores ensinem os mais jovens que a AIDS não tem cura e que é preciso tomar todo o cuidado do mundo com a prática sexual. Que os adolescentes precisam usar preservativo, para evitar doenças sexualmente transmissíveis que são a porta de entrada para o HIV.

O termo Aids vem da expressão inglesa Imunodeficiência Adquirida e é o estágio final da doença.

Ela se manisfesta após a infecção do organismo humano pelo HIV [VIDEO], que é o Vírus da Imunodeficiência Humana. Quando a Aids se manifesta, a pessoa fica debilitada e torna-se incapaz de se defender contra infecções, como a pneumonia, a meningite, as doenças intestinais. Cada vez mais fraco, o doente corre risco de morrer de uma dessas doenças que o seu corpo não consegue combater.

Os primeiros casos de Aids apareceram em 1979, nos Estados Unidos. No Brasil, a doença foi registrada pela primeira vez em 1982. O cantor Cazuza [VIDEO] tornou-se um símbolo nacional na luta contra a Aids e ajudou a quebrar tabus em uma época em que a doença dizimava multidões em todo o mundo. Além de sua belas canções, Cazuza demostrou para o povo brasileiro a bravura pessoal com que enfrentou duros tratamentos de combate ao vírus HIV.

A ideia de que não há vacina contra a Aids, deveria fazer os adolescentes e jovens pensarem mais sobre as suas práticas sexuais. Os vários medicamentos desenvolvidos até hoje podem prolongar a vida do doente e melhorar seu estado geral, mas a cura definitiva não existe. É preciso se amar primeiro, para depois amar o outro. É como diz o ditado: quem ama se cuida. É preciso olhar para si mesmo. Em pleno século XXI, não é possível ficar desinformado sobre as causas e consequências dessa doença fatal.

É preciso inculcar na cabeça dos jovens que a Aids não tem cura. Contudo, atualmente, os portadores do HIV dispõem de um tratamento capaz de prolongar a sobrevida e melhorar a qualidade de vida, pela redução da carga viral e reconstituição do sistema imunológico.

Enfim, é preciso aumentar a vigilância contra essa doença fatal. Que não é bonito, bom e agradável ficar tomando um monte de remédios todos os dias para continuar vivendo. O bom da vida mesmo é viver alegre, feliz e saudável.