A maioria das pessoas não imagina que poderia ser bem melhor vista durante um diálogo. É que o simples ato de movimentar a cabeça em concordância com o que diz o interlocutor afeta direta e positivamente a forma como as pessoas nos enxergam.

Assentir a cabeça para cima e para baixo aumenta em cerca de 30% o grau de simpatia e torna a pessoa 40% mais amigável, de acordo com um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Hokkaido e da Universidade Yamagata, no Japão.

Em muitos países, assentir é um sinal comunicativo que significa aprovação, enquanto a agitação é um gesto de negação.

O professor associado da Universidade de Hokkaido, Jun-ichiro Kawahara e o professor associado da Universidade Yamagata, Takayuki Osugi, demonstraram anteriormente que o movimento de curvatura de figuras tridimensionais geradas por computador aumentava sua atratividade percebida.

Em suas pesquisas mais recentes, a equipe realizou experimentos para avaliar a forma como a simples inclinação da cabeça e a agitação da cabeça afetam percepções de impressões percebidas.

Experimento utilizou animações

Pequenas animações em vídeo de imagens de rostos gerados por computador, assentindo com a cabeça, balançando a cabeça ou permanecendo imóveis tiveram o grau de simpatia e atratividade avaliados por 49 homens e mulheres japoneses com 18 anos ou mais. As escala de notas variou de 0 a 100.

Veja:

Assim, o estudo concluiu que a pessoa torna-se 30% mais simpática e 40% mais amigável quando acena de cima para baixo com frequência e naturalidade em relação a movimentos agitados ou imobilidade da cabeça.

O assentimento da cabeça tem relação com traços de personalidade e não à “aparência física", ressaltou Kawahara

Os resultados foram semelhantes na avaliação dos observadores masculinos e femininos. [VIDEO]

Aplicações

Estudos adicionais envolvendo figuras masculinas, rostos reais e observadores de diferentes origens culturais são necessários para aplicar as descobertas para situações do mundo real.

Porém, a descoberta do estudo - pioneiro a mostrar que a simples observação de movimentos sutis da cabeça de outras pessoas produz atitudes positivas -, poderá ser útil, por exemplo, em treinamentos de hospitalidade para recepcionistas.

Até mesmo expressões faciais de humanóides como os de Sophia, a robô de Inteligência Artificial mais famosa do mundo podem ganhar com a descoberta. Afinal, Sophia, o primeiro robô do mundo a ganhar cidadania na Arábia Saudita, ainda apresenta expressões faciais que, muitas vezes, parecem assustadoras.