A história do soldado britânico, Warren McKinlay, trouxe à tona uma doença pouco conhecida, uma Síndrome rara popularmente conhecida como síndrome do 'cadáver ambulante', ou síndrome de Cotard, em que as pessoas mesmo vivas acreditam estar mortas, ou apodrecidas, ou ainda, que seus órgãos estão necrosados ou simplesmente desapareceram [VIDEO].

A síndrome de Cotard é considerada uma doença psiquiátrica e afetou aproximadamente 100 pessoas em todo o mundo, desde que foi descoberta, em 1880, por Jules Cotard (neurologista francês). Casos da síndrome foram encontrados em outros países, e o pensamento de morte apresentada pelos pacientes pode se manifestar de várias formas [VIDEO].

Entenda a história do soldado britânico Warren

Warren Mckinlay, de 36 anos, apresentou a síndrome do 'cadáver ambulante' após sofrer um grave Acidente de moto. Ele conta que tinha certeza que havia morrido, que estava imerso numa escuridão, e que pensava estar morto. Nesse período ele acabou deixando de realizar as funções básicas do dia-a-dia, como se alimentar e ingerir bebidas, por acreditar que não era mais necessário. Warren conta, que os médicos tentavam convencê-lo do contrário e ele apenas respondia que, por que precisava melhorar se estava morto.

O soldado acredita que desenvolveu a síndrome pelo modo como lidou com o acidente. O acidente foi gravíssimo e ocorreu logo após um treinamento quando ele estava indo para casa, e estava prestes a cumprir missão no Afeganistão. No acidente em questão, o soldado teve seu cérebro lesionado, além de fraturas em sua coluna e na pélvis.

Warren conta que não se lembra de nada, nem mesmo da dor, e que essa perda de memória, o fez acreditar que havia morrido.

Como a síndrome pode afetar as pessoas

Segundo o professor da Universidade de Hong Kong, Helen Chiu, fatores como esquizofrenia e depressão severa podem induzir a síndrome. A síndrome também estaria associada a febre tifóide, enxaqueca, Mal de Parkinson, e esclerose múltipla.

O médico explica ainda que outros fatores podem estar atrelados ao desenvolvimento da síndrome, como problemas familiares, problemas de personalidade, circunstâncias sociais e financeiras, além de outros eventos que acabam por desencadear os delírios.

Entretanto, ainda não se pode afirmar que existam causas únicas para a síndrome, pois sua condição é rara, diz Helen.

Apesar de ser uma síndrome que afeta em sua maioria os adultos, existem casos registrados em crianças e adolescentes e não existe um tempo determinado para a cura, podendo perdurar por muito tempo.