Muitas pessoas estão acima de seu peso ideal.

Atualmente, o ritmo de vida acelerado das grandes cidades muitas vezes mão permite que as pessoas parem seus afazeres para fazer refeições saudáveis.

Para alguns, é um verdadeiro desafio preparar a própria comida, e a procura por alimentos prontos e processados ainda é gigantesca, mesmo com toda a conscientização a respeito da importância de uma alimentação balanceada.

Para outros, o problema é a falta de foco, força de vontade e disposição para iniciar e manter uma dieta.

Rebecca Grafton conta que seu peso começou a subir na mesma época em que ela terminava a faculdade. Em entrevista ao site norte-americano PopSugar, a jovem diz que passou a ''não reconhecer seu corpo em fotografias''. Mas foi somente após decidir tirar umas férias na Jamaica que Rebecca percebeu o quanto precisava perder peso. ''Não queria ver as fotos da viagem pois estava gorda nelas'', conta.

E foi assim, em janeiro de 2014, que Rebecca iniciou sua batalha contra os números mostrados em sua balança. Em dois anos, a jovem perdeu 45 quilos e agora conta para o mundo o segredo de sua boa forma.

Rebecca perdeu peso após adotar três hábitos relativamente simples, listados a seguir:

Contagem de calorias

Rebecca contou com o auxílio de um aplicativo para contar as calorias de tudo aquilo que ela ingeria. Ela tinha uma meta de quantas calorias poderia comer por dia, e se esforçava para manter o foco e não ultrapassar esta cota.

O aplicativo também contava a quantidade de calorias perdidas em alguns tipos de exercícios. A jovem afirma ter perdido 43 kg com a ajuda desta contagem de calorias.

Posteriormente, Rebecca passou a utilizar um novo app, capaz de contar os macronutrientes (carboidratos, proteínas e gorduras) presentes em cada um dos alimentos que ela ingeria. Para a nutricionista Clarissa Casale Doimo, a opção do aplicativo que conta os macronutrientes pode ser mais interessante do que aplicativos que contam somente as calorias ingeridas, uma vez que alguns alimentos, como o abacate, por exemplo, podem ser calóricos, mas também possuem alto valor nutricional, ao mesmo tempo que um alimento industrializado, com a mesma quantidade de calorias, como um copo de refrigerante, por exemplo, pode não conter nutriente nenhum.

Comer à vontade - mas apenas em algumas ocasiões

Rebecca se permitia fazer o que os adeptos da alimentação saudável [VIDEO]e das academias chamam de ''dia do lixo'', ou seja, ela tirava dias específicos, geralmente aos fins de semana e em ocasiões festivas, para comer aquilo que tivesse vontade, sem culpa.

Essa permissão pode ajudar a pessoa a manter o foco na dieta no restante dos dias.

Segundo a nutricionista Clarissa Fujiwara, o chamado ''dia do lixo'' não deve durar, literalmente, as 24 horas que teriam um dia inteiro. Ela esclarece que o ideal é escolher uma das refeições para exagerar, seja na quantidade ou na qualidade dos alimentos.

Fazer exercícios quase todos os dias

E por último, mas não menos importante, Rebecca aponta a necessidade de praticar exercícios físicos, se não todos os dias, na maioria deles. A jovem conta que fez musculação, spinning e corrida. Para Brucce Cota, professor na academia BodyTech, não existe problema algum em realizar exercícios diariamente, desde que estas atividades sejam realizadas com o acompanhamento adequado.

Para manter o interesse em uma rotina de exercícios, vale fazer como Rebecca e intercalar vários tipos diferente de atividades físicas. Para favorecer o emagrecimento, Brucce Cota recomenda os exercícios cardiovasculares que ajudam a queimar calorias e auxiliam no aumento da massa magra.