Um Asteroide, batizado pelo cientistas de 2002 AJ129, está vindo rapidamente em direção à Terra; segundo a Nasa, o objeto viaja a cerca de 107 mil km/h e é pode ser considerado ''potencialmente perigoso'' para nosso planeta.

A agência espacial norte-americana estipula que o 2002 AJ129 deverá passar mais perto da Terra no dia 4 de fevereiro deste ano. A velocidade do objeto é seu dado mais impressionante: estima-se que o asteroide [VIDEO]esteja se movendo até 15 vezes mais rápido do que o avião supersônico X-15, o mais rápido do mundo, segundo o jornal Boy Genius Report; em resumo, são 1,12 km de largura viajando à uma impressionante velocidade em nosso sistema solar.

Em fevereiro deste ano, o asteroide 2002 AJ129, passará a 4,2 milhões de quilômetros do nosso planeta - cerca de 11 vezes a distância entre a Terra e a Lua. O corpo celeste ainda passará algumas vezes por aqui; sua próxima passagem, depois de fevereiro deste ano, só ocorrerá em 2172. Nesta ocasião, as coisas ficaram mais assustadoras ainda, uma vez que o 2002 AJ129 estará a apenas 680.000 km da Terra, em uma distância equivalente a ''somente'' duas vezes a distância entre nós e a Lua.

Mas tenha calma!

Mesmo com dados tão alarmantes a respeito de sua velocidade e tamanho, dificilmente este asteroide poderá destruir ou causar prejuízos à Terra; as chances existem, mas são remotas.

De acordo com o IFL Science, a NASA classifica como ''potencialmente perigosos'' para a Terra todos os asteroides cuja rota esteja a menos de 7,5 milhões de quilômetros de nossa órbita e que tenham tamanho igual ou superior à 140 metros e, somente por essa razão, o 2002 AJ129 está rotulado desta maneira.

Mas o que aconteceria se o asteroide batesse na Terra?

Caso o asteroide de fato batesse em nosso planeta, aí sim estaríamos em grandes apuros; isso porque o impacto geraria uma quantidade absurda de poeira, que encobriria a atmosfera terrestre, bloqueando a luz e o calor solar e causando uma queda vertiginosa nas temperaturas do mundo todo, o que acabaria por criar uma nova era do gelo.

Segundo o pesquisador Charles Bardeen, em entrevista ao tabloide Daily Mail, a combinação entre a queda brusca das temperaturas e o aumento da umidade do ar poderiam acabar com toda a agricultura, até matar diversas espécies, inclusive a espécie humana, de fome.

Além disso, dependendo do local no qual o asteroide caísse, o impacto poderia matar, na hora, milhões de seres vivos, incluindo seres humanos.