No verão, uma das doenças que mais acometem as pessoas é a conjuntivite, uma infeção da conjuntiva, aquela membrana que reveste a parte branca do olho. O aumento do contágio se dá por conta de fatores climáticos como altas temperaturas da estação, aumento das chuvas, maior umidade do ar, assim como aglomeração de pessoas em piscinas por causa das férias.

No início desse ano, o município de Caldas Novas, cidade turística de Goiás, conhecida pelas águas termais registrou um aumento de 40% nos casos da doença em relação ao mesmo período do ano passado, caracterizando um surto epidemiológico, o que acaba prejudicando muito o fluxo de turistas e sobrecarregando os serviços de Saúde.

Segundo José Custódio Neto, que é coordenador do Núcleo de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, além dos fatores climáticos, o aumento no número de frequentadores nos parques aquáticos, que aumentou em torno de 30% na cidade, contribuiu para o aumento da transmissão da doença.

Outra cidade acometida pelo surto de conjuntivite foi Corumbá (MS), que registou 378 casos, um aumento expressivo em relação à janeiro de 2017, quando foram menos de 100 casos registrados.

As secretarias de saúde das duas cidades têm emitido material de informação e alerta à população sobre maneiras de evitar o contágio e providências que devem ser tomadas, assim como capacitação dos profissionais da área de saúde.

Tipos da doença

A conjuntivite pode ser de três tipos: alérgica, bacteriana ou viral.

Sintomas

Vermelhidão em um ou nos dois olhos, coceira, secreção amarelada, se for conjuntivite bacteriana, ou secreção esbranquiçada, caso seja viral, sensibilidade à luz ou visão embaçada e pálpebras grudadas ao acordar.

Como evitar

Mantenha bons hábitos de higiene, lavando sempre mãos e rosto. Evite coçar os olhos em locais com grande aglomeração de pessoas, como escolas, academias e piscinas.

Se estiver com a doença evite frequentar lugares com muitas pessoas, lave com frequência as mãos e dê preferência ao uso de tolhas de papel quando enxugar mãos e rosto, troque todos os dias travesseiros, fronhas e lençol de cama.

Contágio e tratamento

A conjuntivite alérgica acomete mais as crianças e é causada por alguma substância alérgena e não é contagiosa. Deve ser tratada com compressas frias para alívio dos sintomas, colírio lubrificante gelado várias vezes ao dia e usar medicamentos anti-histamínicos, seja por via oral ou diretamente nos olhos.

No tipo bacteriano, que é bem menos comum, usá-se colírio antibiótico no tratamento, compressas de água gelada e aplicação de soro fisiológico.

Para a conjuntivite viral, que é a forma mais comum, não existe tratamento específico, mas a recomendação é o uso de compressas frias ou geladas e aplicação, para alívio dos sintomas, de um colírio lubrificante gelado diversas vezes ao dia.

Em qualquer um dos casos de conjuntivite recomenda-se procurar um médico oftalmologista para diagnóstico correto e prescrição de medicação adequada para tratamento. Geralmente o tratamento é eficaz em uma ou suas semanas.