Os cientistas descobriram um produto químico de um extrato de plantas tradicionalmente usado por guerreiros africanos para envenenar suas flechas. De acordo com um novo estudo, este produto químico poderia ser o futuro da pílula anticoncepcional masculina.

Os homens podem ter algumas opções para métodos anticoncepcionais, mas nenhum deles funciona do mesmo modo que as pílulas anticoncepcionais das mulheres [VIDEO], as quais limitam a célula reprodutiva. Mas um grupo de pesquisadores da Universidade de Minnesota e da Universidade do Kansas descobriu que o produto químico, chamado ouabaína, poderia ser um ingrediente potencial para uma pílula contraceptiva masculina.

Os achados do estudo podem ser encontrados no Journal of Medicinal Chemistry.

Qual substância é essa?

A substância tóxica ouabaína é extraída de dois tipos de plantas nativas da África, chamada de árvore venenosa. O produto químico prejudica os tecidos do coração, o que conseqüentemente leva à morte. Os guerreiros africanos fervem a planta para extrair a substância tóxica. Em seguida, eles mergulham suas flechas no líquido concentrado para fazer a matança durante a caçada.

Embora a ouabaína seja um produto químico mortal, provou ser um glicósido cardíaco efetivo, ou uma substância que aumenta a força de bombeamento do coração enquanto baixa a taxa de contrações. Cientistas da Europa descobriram essa ação no século 18 e para isso, a ouabaína tem sido usada para tratar doenças cardíacas, como arritmia e hipotensão, mas usando doses muito baixas.

Ciência e avanços

Em 2014, um estudo mostrou o potencial da ouabaína para afetar a reprodutividade masculina, mas devido ao risco para o coração, nunca foi considerado um excelente ingrediente para pílulas anticoncepcionais masculinas. No entanto, com pesquisa contínua, os cientistas apresentaram uma nova versão de ouabaína - uma com uma estrutura molecular ajustada. Este novo análogo visa uma proteína específica que controla a motilidade do esperma, ou a capacidade da célula reprodutiva masculina de se mover através do trato reprodutivo feminino. Em outras palavras, essa substância ajustada faz com que os espermatozóides sejam incapazes de nadar e, portanto, não conseguem alcançar o óvulo e continuar com a fertilização.

Para demonstrar o potencial da ouabain em se tornar um ingrediente chave nas pílulas anticoncepcionais masculinas, a equipe de pesquisa testou a substância em ratos machos. O experimento descobriu que a Fertilidade dos ratos foi afetada, mas eles permaneceram saudáveis. Não só isso, cientistas descobriram que o efeito era reversível, o que significa que a substância não afeta permanentemente a motilidade do esperma dos ratos. As novas células de esperma não foram afetadas pela ação do novo análogo.

Embora os resultados sejam promissores, os cientistas concordam que mais testes devem ser feitos em animais. Se os experimentos futuros produzem resultados positivos, o análogo da ouabaína poderia então ser testado em seres humanos.