Durante todo o período da gestação, o corpo passa por diversas transformações, tanto físicas quanto psicológicas. Uma dúvida recorrente entre mulheres e homens é com relação à relação sexual durante o período da Gravidez e se há algum período em que não se dever praticar.

A versão impressa mais recente da revista Malu traz um artigo super importante sobre o assunto que nos ajuda a tirar algumas dúvidas sobre o assunto. Leia com atenção a posição de especialistas no assunto e melhore sua vida no período gestacional [VIDEO], tão importante para o desenvolvimento do feto e Saúde da mãe.

O médico Renato de Oliveira fala sobre pelo menos cinco benefícios durante a prática da intimidade durante todo o período gestacional, se a gravidez não for de risco.

Segundo ele, numa gestação comum, é mais do que normal, é recomendado, exceto quando por alguma complicação o médico alerta sobre o risco de complicações específicas, ou seja, quando foge ao normal!

1) Dá força aos músculos do períneo

O períneo é formado de músculos que constituem parte do aparelho feminino, onde estão situados os órgãos genitais e que, como todos os outros, precisam ser fortalecidos, em especial na época da gravidez e depois dos 40 anos. As relações sexuais durante a gravidez fortalecem o conjunto de músculos do períneo.

Tais músculos estão extremamente ativos no momento final da gestação e são essenciais na hora do parto, ajudando nas contrações a colocar o bebê para fora mais rapidamente.

2) Benefícios emocionais

Devido aos hormônios, a sensibilidade da mãe, nesta fase, está no ápice.

É como se tudo fosse visto com uma lente de aumento. Dessa forma, além de renovar os laços do casal como companheiros (essencial em todas as fases da vida e ainda mais importante nessa fase), manter a vida sexual em dia traz à futura mamãe mais segurança, diminui os medos e aumenta a autoestima.

Ou seja, ao ato de amor extremamente importante em qualquer fase da vida, torna-se fundamental nessa fase, onde o feto também sente parte das emoções da mulher.

3) Previne a pré-eclâmpsia

Pesquisas feitas na Austrália para um estudo científico realizado na Universidade de Adelaide revelaram que grávidas que mantiveram a intimidade física durante o período da gravidez apresentaram muito menos chances de desenvolver pré-eclâmpsia, que é a perigosa hipertensão gestacional. Perigoso para ambos (bebê e mamãe), esse estado tem seus riscos diminuídos com a intimidade sexual, revela o estudo científico.

4) Aumenta o prazer físico e emocional

Na gestação, a lubrificação do órgão sexual feminino aumenta muito, o que deixa a mulher mais sensível e propensa à excitação.

Isso implica em dizer que as mulheres ativas podem sentir coisas nunca experimentadas antes, o que é excelente para seu conhecimento pessoal e para a qualidade de vida durante esse período onde há hormônios que mexem com o estado emocional da gestante. [VIDEO]

5) É bom para o bebê

Atenção: o feto não é prejudicado com o ato sexual, ao contrário do que algumas pessoas ainda acreditam. Isso porque o corpo feminino é feito, anatomicamente, para manter o feto saudável e possui todo um aparato natural de proteção para o bebezinho. A intensa sensação de felicidade e bem-estar sentido pela mãe durante o ato é passado também ao ser que ela carrega.