Seu intestino é preguiçoso? Muito chato isso, não é? Aquela sensação de barriga estufada, dificuldade para evacuação, o que acaba deixando a pessoa irritada, às vezes.

Por isso, há uma etimologia popular dessa palavra, que apregoa que enfezado é o sujeito cheio de fezes!

Certa ou não essa explicação etimológica, o fato é que o desconforto causado pela constipação intestinal é algo que realmente deixa a pessoa sofre desse mal, no mínimo, incomodada.

Avaliação médica

Embora esse problema possa ser sanado com a mudança de hábitos alimentares, diminuição do sedentarismo e da exposição ao estresse e à Ansiedade, se a constipação for crônica ou começar de repente e persistir, é importante consultar um médico especialista, já que o problema poder estar relacionado a fatores mais graves, como doenças do cólon e até mesmo câncer colorretal, que tem bom prognóstico de resolução, se descoberto no início.

Alimentação

Vamos às dicas para melhorar o trânsito intestinal e atenuar significativamente a constipação crônica, caso ela decorra somente do fator alimentação inadequada.

A primeira é tomar muita água: de 2 a 3 litros por dia, dependendo do seu peso (quanto maior, mais água). Isso porque a água é fundamental para a formação do bolo, que se dá no intestino grosso.

A segunda é a ingestão de muitas fibras [VIDEO], pois são elas as responsáveis por aumentar o volume das fezes e reter aquela água ingerida, de tal forma que as fezes fiquem mais pastosas, o que facilita a sua eliminação.

E quais são aqueles alimentos que podem fazer a diferença?

Ameixa: é o alimento clássico quando se fala em combater a prisão de ventre, e sua fama justifica-se: ela contém uma substância chamada sorbitol, que amolece as fezes, melhorando a evacuação.

Os melhores vídeos do dia

Coma duas ou três pela manhã, de preferência a ameixa seca.

Nozes: nozes, castanha do Pará, amêndoas, enfim, nuts em geral não só facilitam o trânsito intestinal como contém a chamada gordura boa, que ajuda a combater o colesterol. Então não se esqueça de colocar nozes para incrementar sua salada!

Chia: muito badalada a partir da última década, mas não à toa: sem contar os benefícios dos seus ácidos graxos no combate ao colesterol e triglicerídeos, além de conter muitas fibras, por ser insolúvel, ela promove o fluxo do sistema intestinal e ajuda a fazer uma varrição dos detritos, Coloque-a no iogurte pela manhã e a acrescente em sua salada, por exemplo.

Feijão: sim, o feijão nosso de cada dia, bem como seus “primos” grão de bico, lentilha e ervilha contêm muita fibra e são uma ótima opção.

Farelo de aveia: outro clássico, como a ameixa, ele é rico em fibras.

Verduras e legumes: são campeões em fibras, principalmente se consumidos crus. Assim, se você tem prisão de ventre, dê preferência à cenoura ralada, àquela saladinha de escarola ao invés de consumi-la refogada.

Café: quem diria, mas o nosso bom café de todas as manhãs ajuda não só a despertar para o dia, mas também quando o assunto é prisão de ventre!

Mamão: esse é outro clássico, daqueles que ouvimos falar desde sempre que é bom para a constipação. É porque ele contém pectina, uma substância que acelera o processo digestivo, facilitando, assim, a evacuação.

Linhaça: contém fibras solúveis e insolúveis que ajudam a promover o trânsito intestinal, além de benefícios como a melhora no combate à diabete.

Iogurte: contém lactobacilos, que estimulam a produção de bactérias benignas ao intestino. Seu consumo é ainda mais importante logo após você ter terminado de tomar antibiótico, para ajudar a restabelecer a flora intestinal [VIDEO].

Alimentos a serem evitados

Mas não basta consumir alimentos benéficos ao trânsito intestinal: é necessário evitar os alimentos industrializados, massas prontas, etc. porque além de serem pobres em fibras, contém conservantes, corantes, etc. que em nada beneficiam o organismo.

Eduque seu intestino

Procure também “educar” seu intestino, sentando-se todo dia no vaso sanitário no mesmo horário, preferencialmente após o café da manhã, para que ele adquira um ritmo de funcionamento ao longo do tempo.

Estresse e ansiedade

Combater o estresse e a ansiedade também são medidas que contribuirão para o combate à constipação. Faça isso da forma que conseguir, seja adotando o hábito de fazer caminhadas num parque, seja com ajuda psicológica, enfim, o importante é combater o estresse e a ansiedade e, se possível, descobrir qual é o gatilho e procurar evita-lo.

Xô, sedentarismo!

Pratique exercícios físicos: muita gente vai dizer que é uma chatice, que não consegue, mas a persistência faz a diferença.

Não é fácil vencer a barreira do sedentarismo, mas uma boa estratégia é contratar um(a) personal trainner, já que mesmo naquele dia em que se estiver muito desanimado, o fato de ter o compromisso com a pessoa que está lhe esperando para a aula não lhe permitirá “matar” o treino.

E, com o tempo (para alguns 6 meses, outros mais), começa-se a sentir algo nunca imaginado: a falta do treino se por algum motivo ele vier a ser abortado em um determinado dia! É que, ao invés de cansar, com o passar do tempo, o treino dá tanta disposição que vira uma necessidade!

Conselho final

Lembre-se de que alimentação correta, maior consumo de água, educação do intestino, combate ao estresse e à ansiedade e prática regular de exercícios físicos são fatores benéficos ao organismo como um todo e costumam dar resultado no combate à constipação, mas, por si só, não dispensam a avaliação de um especialista.