Para se perder peso [VIDEO] hoje em dia as principais dicas estão relacionadas a menor ingestão de carboidratos (os açúcares) ou na menor ingestão de lipídeos (as gorduras), então fica a pergunta, qual delas escolher? Porém o que se mostra na realidade em um recente estudo é que nenhum regime seria mais eficaz que o outro. O metabolismo e a própria genética do indivíduo também não seriam fatores essenciais para um resultado mais satisfatório em uma Dieta.

"Já ouvimos muitas situações que uma pessoa fez uso de uma certa dieta e teve resultados satisfatórios, enquanto que para outra foi um verdadeiro fracasso. Quem sabe se a pergunta correta não fosse, qual a dieta ideal, e sim qual seria a ideal dieta para determinado tipo de pessoa?", falou o conceituado professor da Universidade de Medicina de Stanford situada na Califórnia, Christopher Gardner.

E este conceito parece ser bem lógico já que somos todos diferentes, acabando por fim compreendendo o porquê de nossas diversidades.

Estudo sobre as dietas

A partir desses questionamentos um estudo foi realizado com pessoas de 18 a 50 anos. Foram selecionados 609 pessoas que na sua maioria era composto por mulheres. Então foi feita a divisão dessas pessoas em dois grupos de forma aleatória. Essas pessoas foram submetidas a dois tipos de dietas, sendo que um grupo seria de pobre ingestão de açúcares e a outra de pouca ingestão de gordura.

Foi orientado ainda para os dois grupos que evitassem alimentos processados.

Gardner disse que o que foi orientado para ambos os grupos é que eles deveriam comer alimentos saudáveis, portanto muito além do que restringir alimentos com baixo teor de gordura.

"Nós fizemos questão de explicar que, independentemente da dieta que se seguia, seria necessário comer alimentos naturais e que se evitasse os processados ​​e ultra-processados".

Também foram aconselhados a seguirem as dietas sem sentir fome, porque de outra forma é muito difícil manter o hábito a longo prazo. "Nós queríamos que eles escolhessem um plano de dieta com baixo teor de gordura ou baixo teor de carboidratos não só para os estudos, mas para que eles pudessem segui-lo para sempre", disse Gardner.

Conclusão

A conclusão foi a seguinte: na média dos dois grupos cada indivíduo eliminou 5,9 quilos, e houve caso de alguns perderem bem mais, cerca de 27 quilos, e ainda outros que acumularam mais 9 quilos ao seu peso inicial.

Entre o regime e a mais expressiva perda de peso, não foi achada uma relação.

Portanto concluíram que não houve uma grande diferença entre as dietas, se comparando a evolução de pesos dos participantes delas.

"Foi sequenciada uma parte dos genomas dos participantes, o que levou aos cientistas a investigarem se havia genes relacionados à produção de proteínas que transformam o metabolismo de lipídeos ou carboidratos", segundo o relatório dos estudos.

Outra conclusão que chegou esse estudo seria que devemos adotar bons hábitos na nossa alimentação como comer moderadamente, alimentado-se adequadamente para também não ficar com fome, os resultados podem até demorar, mas vão ser bem mais duradouros.

As pessoas ingeriram açúcar em jejum para verificar a produção de insulina.

"Nenhum fator ou perfil genético ou até mesmo a secreção de insulina foi relacionado aos efeitos da dieta [VIDEO]de perder peso", conforme conclusão.

Essas descobertas podem impulsionar o mercado de perda de peso nos EUA e no mundo.