Após fortes indícios de erros primários nos testes clínicos da fosfoetanolamina Sintética [VIDEO] (Pílula do Câncer) que ocorreram no Icesp (Instituto do Câncer de São Paulo), deputados do estado de São Paulo decidiram abrir uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar como foi empregado o dinheiro público e se todo o protocolo foi devidamente seguido.

Em audiência no dia 7 de fevereiro, foi convidado o presidente da Sociedade de Oncologia Brasileira, Sérgio Simon. Ele confirmou que todo medicamento deve passar pelo teste de farmacocinética. Este teste é primordial para que seja definido todo o caminho que determinada substância percorre no corpo humano.

Somente após este teste é possível saber qual será a dosagem inicial para cada tipo de tumor.

Vale ressaltar que nunca foi efetuado este teste com a Fosfoetanolamina sintética e, por conta disso, os responsáveis pelos testes clínicos decidiram, sem embasamento algum, que pacientes com câncer que estavam incluídos no desenho clínico deveriam tomar três cápsulas de uma única só vez diariamente.

No último dia 21 ocorreu mais uma audiência e vários outros responsáveis foram convidados a depor. Uma delas foi a farmacêutica e bioquímica Suleima H.A. Jokh, responsável por enviar os dados clínicos para Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

O que chamou atenção do deputado Roberto Massafera (PR), relator da CPI [VIDEO], foi a falta de aprovação do desenho clínico pela Anvisa, tendo em vista que faltaram documentos.

Um deles seria a farmacocinética, ou seja, pacientes com câncer foram submetidos a testes de um novo medicamento sem que fossem seguidos todos os protocolos.

Outro ponto importante que também ficou claro nas investigações até o momento foi o fato dos pacientes serem orientados apenas verbalmente, sem nenhuma anotação para que não houvessem dúvidas. Pacientes eram orientados a tomarem as cápsulas juntamente com margarina, o que vai completamente contra os estudos publicados em revistas científicas do mestre em imunologia Durvanei Maria.

Na próxima quarta-feira (28) haverá mais uma audiência, para então nas próximas semanas ser confeccionado o relatório final da CPI que investiga todas as fraudes e erros cometidos nos testes clínicos da fosfoetanolamina sintética.

Caso fique comprovado irregularidades ou fraude nos testes clínicos, tendo em vista que foi utilizado dinheiro público, todos os responsáveis deverão ser responsabilizados e devidamente punidos.