O relacionamento entre homens e mulheres pode ser bastante complexo. [VIDEO]Eles, geralmente, não tem o hábito de se cuidarem, mas acabam mudando esse hábito ao longo dos anos. Já as mulheres, que no passado eram bem mais cuidadosas que eles, acabam, às vezes se deixando levar. [VIDEO] É bom lembrar, no entanto, que as representantes do gênero feminino têm uma estrutura única e, portanto, podem desenvolver problemas bastante complexos.

Um dos problemas mais comuns nas mulheres é a Síndrome do Ovário Policístico. A doença atinge muitas representantes do gênero feminino e pode gerar até a infertilidade. Mas você sabe quais são os principais sintomas dessa terrível enfermidade?

Conheça sintomas da Síndrome do Ovário Policístico

Conviver com uma doença é muito difícil.

A enfermidade é algo realmente muito ruim na vida de qualquer pessoa. Um dos primeiros sintomas que a mulher deve ficar ligada relativo a esse terrível problema são os atrasos na menstruação. A síndrome em si não tem cura, mas é possível conviver com o problema. Já se sabe que muitas mulheres acima do peso acabam desenvolvendo essa doença. Um outro sinal importante é o desequilíbrio hormonal. Podem aparecer muitas espinhas nas mulheres. Elas devem ficar ligadas em cada mudança hormonal. Isso é realmente importante para que, rapidamente, procurem ajuda médica.

Pelos nos seios podem indicar problema importante

O desequilíbrio hormonal da mulher pode fazer também com que ela tenha muitos pelos pelo corpo. Esses pelos podem nascer no rosto e também em volta do seio, por isso, fazer o exame da mama é tão importante.

Mesmo a Síndrome do Ovário Policístico sendo uma doença importante e podendo até gerar a infertilidade, o problema pode ser evoluído. Não tratando esse mal, a mulher pode ter enfermidades do coração, câncer e até a morte. Isso porque o câncer, é claro, pode acabar evoluindo.

Mas como é feito o diagnóstico? Tenha mais informações

O exame pode ser feito por meio de um ultrassom. A imagem mostrará os óvulos da mulher com diversos folículos. A partir daí, inicia o tratamento. No geral, não há 100% de certeza em relação a como todo o mal pode ser evitado. Já se sabe que a maioria das mulheres que tem o mal tem algum outro problema de Saúde. Acredita-se também que essa doença possa ser um mal hereditário.

Por isso, nunca é demais avisar que o ideal é que a mulher sempre frequente o médico, em especial os ginecologistas. A situação precisa ter todo o controle possível.