No final de semana é comum querermos esquecer o estresse do trabalho ou dos estudos para dar aquela relaxada no sofá e assistir a série favorita na Netflix toda de uma vez só, num movimento de fugir dos problemas cotidianos e de trazer mais diversão para a vida. Mas como todas as coisas, o exagero pode ter um impacto danoso na saúde.

Mas você sabia que passar horas sentado(a) pode impactar a saúde do cérebro também?

Recentes descobertas entre vida não ativa e saúde do cérebro

Curiosos sobre o impacto do Sedentarismo no cérebro - mais especificamente na memória [VIDEO] -, pesquisadores americanos da universidade UCLA (uma das universidades americanas com maior prestígio internacional na área da neurociência) acompanharam o estilo de vida de 35 pessoas com idades entre 45 a 75 anos, sendo 25 mulheres e 10 homens.

Todos tiveram suas atividades físicas e seus momentos de sedentarismo contabilizados em horas por dia que ficavam em repouso ou não. Além disso, para avaliarem o impacto da falta de atividade física na Memória, o cérebro dos participantes foi escaneado por um aparelho de ressonância magnética de alta resolução, por meio do qual foi possível olhar detalhadamente a estrutura do cérebro responsável pela formação de novas memórias.

A estrutura observada é denominada lobo temporal medial e ela é a principal parte responsável pela formação da nossa memória e pela possibilidade de darmos sentido às palavras. Esta estrutura fica atrofiada em demências e quadros de amnésia, por exemplo, e foi esta estrutura cerebral investigada na pesquisa.

O que foi descoberto?

Descobriu-se que permanecer longas horas em repouso é um preditor importante da atrofia do lobo temporal medial, que é uma das principais estruturas do cérebro responsável pela memória.

Isso mesmo! A estrutura do cérebro relacionada à memória de quem era sedentário e passava longas horas do dia sentado era mais fina que dos que tinham uma vida mais ativa.

Os pesquisadores ainda descobriram que mesmo que você faça exercícios físicos de forma intensa após os longos períodos de sedentarismo, os malefícios causados ao cérebro não são revertidos. Isto é, depois que houve atrofia da estrutura que cuida de nossa memória, os exercícios físicos posteriores não conseguirão reverter a saúde cerebral.

O estudo em si não comprovou que longos períodos sentado causam diretamente a atrofia das estruturas cerebrais, mas que existe sim uma associação importante entre sedentarismo e a perda de memória. E esta descoberta é um avanço significativo nas descobertas sobre nossa saúde cerebral.

O que é inédito?

Já era conhecido que o afinamento do lobo temporal medial está associado à perdas cognitivas e aumento da probabilidade de demência em adultos e idosos. O que não se tinha comprovado ainda era a correlação entre sedentarismo e memória.

E tais descobertas podem ajudar que tratamentos para pessoas com risco de desenvolverem Alzheimer, por exemplo, incluam a redução do sedentarismo.

Estratégias para vencer a preguiça e ser mais ativo

Você ainda insiste na ideia de assistir sua série favorita de uma vez só ou ficar muito tempo em seu celular? Veja se estas estratégias para mudança do comportamento sedentário ajudam a você a ter uma vida mais ativa:

  • Fuja dos pensamentos imediatistas;
  • Busque compreender por que você tem ficado mais focado no mundo virtual do que no mundo real ao seu redor;
  • Repense sua forma de relaxar após o trabalho;
  • Inclua outras práticas de autocuidado no seu dia a dia a dia;
  • Procure um especialista em mudança de comportamentos, como um psicólogo, por exemplo.

E me diga, esta é ou não é uma descoberta que faz a gente repensar nossos planos para a semana e para o final de semana?