Como ocorre mais uma vez neste mês de maio, as pessoas com mais de 60 anos de idade não devem deixar passar a oportunidade de serem vacinadas contra a gripe H1N1 [VIDEO], que vai se estender até o dia 2 de junho.

Esta é a maneira mais eficaz de combater o vírus da gripe que atinge um grande número de pessoas durante o inverno. As vacinas estão à disposição da população em todos os postos de Saúde da cidade. E é importante lembrar que faltando pouco 9 dias para o fim da campanha nacional de imunização, apenas 4,5 milhões de paulistas foram vacinados até agora, o que representa menos 40% do público-alvo no Estado de São Paulo, onde já foram registrados quase 180 casos de síndrome respiratória grave, com cerca de 30 mortes.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Saúde

Daí a importância de toda pessoa idosa tomar a vacina, além de receber doses contra tétano, febre amarela e difteria. Da mesma forma, os idosos hospitalizados e residentes em casas de repouso receberão a vacina contra infecções, entre elas, a pneumonia.

Sempre é bom enfatizar que a gripe [VIDEO] é considerada uma das doenças infecciosas que mais preocupam as autoridades sanitárias do Brasil e do mundo. Os especialistas acreditam que, a exemplo do que aconteceu no século passado, quando mais de 50 milhões de pessoas morreram, um novo surto pode surgir a qualquer momento, atingindo desta vez quase 150 milhões de pessoas no mundo. Tanto é que os pesquisadores de todo o planeta já estão trabalhando na descoberta de alguma nova vacina que possa fazer frente ao que poderá acontecer.

Tendo em vista que grandes contingentes de pessoas idosas já estão com o organismo mais debilitado, justifica-se plenamente a imunização, em razão de serem vítimas potenciais. Por isso, idosos e portadores de doenças crônicas, como insuficiência renal, bronquite, portadores de HIV e diabéticos, são os alvos preferenciais da campanha de vacinação.

Sabe-se que as chances de contrair o vírus são iguais para todos, mas as doenças atingem mais crianças e idosos. Também é bom saber que as crianças entre 1 e 5 anos são as principais fontes de transmissão do vírus na família e na comunidade. Infelizmente, apesar de todos os esclarecimentos que são feitos, a desconfiança e o medo de uma reação à vacina são os principais motivos que fazem muita gente evitar a imunização. Ninguém deve esquecer que a campanha está chegando ao seu final.

Mas há outra saída: alimentação. Vale lembrar que frutas são essenciais no combate a esse tipo de doença, prevenindo contra infecções e estimulando a boa saúde em nosso corpo. Cuide-se!