Um estudo realizado pela Universidade de Tufts, em Massachusetts, nos Estados Unidos, revelou que a ausência da prática de sexo pode provocar morte súbita.

A pesquisa foi realizada junto com 14 estudos de casos de eventos cardíacos. No estudo observaram que existe uma relação entre a atividade sexual e ataques cardíacos [VIDEO].

A pesquisadora Susan A. Hall, coordenadora do estudo, relatou que a prática de relações sexuais deve ser realizada de duas a três vezes por semana. Susan também afirmou que a prática pode ser um exercício de intensidade moderada.

Susan Hall ainda afirmou que o estudo é um alerta para todos os homens, em diferentes faixas etárias.

Com a perda de libido [VIDEO] e problemas de ereção podem estar associadas a fases de doenças crônicas. Homens que perdem o interesse em fazer sexo devem ficar atentos a problemas de saúde.

Além das vantagens para o coração, o ato sexual libera muitos hormônios, principalmente após a primeira ejaculação, que acaba ajudando a equilibrar uma série de funções metabólicas.

Para os pesquisadores, pessoas que possuem mais disposição sexual costumam ser mais propensas a gostarem de praticar atividades físicas, e buscam mais opções para ter uma vida mais saudável.

O sexo é considerado um dos melhores exercícios cardiovasculares. Com uma prática regular é possível minimizar riscos de ataques cardíacos, aumentar a autoestima e melhorar a qualidade de vida.

Porém se a pessoa não praticar o sexo pelo menos uma vez por mês pode ficar mais propenso a sofrer AVE (Acidente Vascular Encefálico), segundo o estudo revelou.

Os pesquisadores acompanharam cerca de 1.165 homens, com idade média de 50 anos, por cerca de 16 anos. Os homens não apresentavam problemas cardíacos no início do estudo.

O estudo revelou que homens que fazem sexo apenas uma vez por semana possuem um número maior de problemas de saúde em relação aos que fazem sexo mais de duas vezes na semana.

Outros estudos já foram feitos sobre o assunto e indicaram que uma vida sexual mais pacata poderia causar problemas como a diabetes.

A pesquisa concluiu que o risco de ataque cardíaco pode ser reduzido em até 45 por cento e a morte súbita cardíaca a porcentagem é por volta de 30.

Os pesquisadores ainda advertiram que se a pessoa quiser evitar problemas cardíacos e ter uma melhor qualidade de vida é preciso praticar sexo com maior frequência.

O estudo publicado na revista acadêmica "American Journal of Cardiology".