Em época de Copa do Mundo, os olhos da massa se voltam para o futebol, e dentro dela há sempre os mais ávidos e afincos torcedores.

A realidade é que a Copa do Mundo sediada na Rússia está dando o que falar, não só pelo marketing, como também pelo espetáculo como um todo [VIDEO]. Pessoas de praticamente de todas as nacionalidade se juntam para ver a sua seleção (e outras) disputarem entre si.

Nesse contexto, o fator surpresa, aliado a fortes emoções [VIDEO], pode ser nocivo aos torcedores, pelo menos é o que apontam estudos embasados, também, por especialistas da área médica.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Saúde

Segundo o Diretor Administrativo da SBC-DF (Sociedade Brasileira de Cardiologia do Distrito Federal), Anderson Rodrigues, infartos podem ocorrer em maior número em jogos da Copa, tanto em gringos (estrangeiros) como também em torcedores brasileiros, obviamente se considerados os mais emotivos e apaixonados, esses podem ter um risco maior de sofrer infartos.

O médico explica que entre os brasileiros, por exemplo, o número de infartos pode aumentar de 4 a 8%.

A meditação e atividades esportivas podem ajudar, e como nem todos podem fazê-los, o acompanhamento médico é o mais recomendável, em conjunto às práticas citadas (se possível).

Pesquisas já realizadas na Alemanha mostraram que fortes emoções da Copa podem ser perigosas e nocivas à saúde do coração

Há 12 anos, uma pesquisa realizada na cidade de Munique, na Alemanha, pela Universidade Ludwig e Maximilian (Universidade de Munique), demonstrou que jogos do mundial podiam triplicar eventos cardíacos. Os homens alemães tinham o risco mais elevado do que mulheres, que também tiveram um aumento em jogos de Copa, elas cerca de cerca 1,8 a mais, em jogos em que sua seleção estava em campo, e eles, 3,26.

Como prevenir infartos na Copa e o que fazer

Em 2010, o cardiologista Celso Amodeo (também nefrologista) afirmara que pacientes instáveis deviam evitar assistir a jogos da Copa, para evitar gravidades em eventos cardíacos, anteriormente, no entanto, Amodeo dissera que cada um tem o seu nível de ansiedade, assim, cada indivíduo tem um nível de cuidado diferente.

Bebidas álcoolicas e café podem acabar acelerando o processo, não só pacientes que já tenham um histórico de problemas cardíacos devem tomar cuidado, mas também pessoas sem nenhum histórico. Devem tomar o cuidado redobrado, homens de 45 anos para mais.

O médico Anderson Rodrigues declarou que não só emoções mais fortes podem gerar grandes cargas no coração, como também emoções diversas, sejam elas, boas ou ruins, pois cargas de adrenalina são liberadas na corrente sanguínea, ocorrendo alteração na pressão arterial, estas podem ser até mesmo silenciosas, gerando um infarto.

Dores na mandíbula, peito e braço também podem ser sinais de um infarto posteriormente, se tal acontecer o torcedor deve imediatamente avisar familiares, amigos ou conhecidos, e procurar um atendimento médico o mais rápido possível.

Se só, o torcedor brasileiro pode acionar o SAMU pelo telefone: 192 ou os bombeiros, pelo 196.