Nesta sexta-feira (27), um dos maiores fenômenos naturais acontecerá: o eclipse total da lua. Este evento já é, por si só, imperdível, e se torna ainda mais especial, pois será o mais longo da história, isso devido às posições relativas ao sol. O fenômeno terá duração de 1 hora e 43 minutos, e poderá ser visto em quase todo o planeta. O Eclipse será visível primeiramente na Europa, Ásia, África, Austrália e, por último, na América do Sul.

No Brasil o eclipse será visto a partir das 16 horas e 30 minutos, até às 18 horas e 13 minutos, em horário de Brasília, levando cerca de 40 minutos de espetáculo no céu.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Natureza

Segundo o Observatório Nacional, para ver o eclipse total é aconselhável ficar em um local onde se possa ver bem o céu, próximo do horizonte, mais precisamente na parte leste.

Um par de binóculos poderá ajudar bastante na ocasião.

Eclipse e a Lua de Sangue

O eclipse acontece quando há um alinhamento entre o Sol a Terra e a Lua, onde a Terra fica diretamente entre o Sol e a Lua, interrompendo a passagem de luz solar, a Lua acaba ficando na sombra criada pela Terra. Ocorre sempre na fase da Lua cheia, daí ocorre o eclipse lunar. Se for ao contrário, chamamos de [VIDEO] eclipse solar [VIDEO].

Há três tipos de eclipse: o total, o parcial e o penumbral. No total, o satélite entra diretamente na sombra da Terra, já o parcial ocorre quando apenas parte está encoberta pela sombra, e, por fim, o penumbral acontece quando o satélite entra na região de penumbra, onde há variação do brilho da Lua, que dificilmente podemos notar.

Este fenômeno é também chamado de "Lua de Sangue", e ocorre quando a Lua fica na sombra da Terra, os raios solares não conseguem atingir diretamente a Lua, passando apenas pela atmosfera da Terra, que espalha luz e cores, e, por isso, a Lua no eclipse fica com uma cor alaranjada ou avermelhada, por estar na sombra da Terra - o mesmo efeito acontece com o pôr do Sol.

Segundo a pesquisadora do Observatório Nacional, Josina Nascimento, o mês de julho é bem possível ver vários planetas no céu. O planeta Marte é o mais visível, e se localiza bem próximo da Lua. Será bem provável ver Marte também no dia do eclipse. Vênus está localizado na parte oeste, e é possível ser visto logo após o pôr do Sol. Júpiter está no ponto mais alto do céu, quando o sol se põe. Saturno e Marte podem ser visto no inicio da noite na parte leste, a diferença entre eles é que o planeta Marte é bem mais luminoso.

O próximo fenômeno de eclipse lunar acontecerá em Janeiro de 2019, na virada da noite do dia 20 para o dia 21. Brasileiros poderão ver o eclipse do inicio ao fim.