Em um estudo recente realizado pela International Society of Hair Restoration, o cabelo foi apontado como o atributo físico que mais afeta a autoestima, ficando à frente do peso, da má aparência e ortodontia estética. O estudo também concluiu que cerca de 62% dos participantes concordam que o cabelo é importante para a carreira e quase 75% dos homens que sofrem com perda capilar sentem-se menos confiantes, especialmente ao lidar com o sexo oposto.

Essas são apenas algumas das percepções populares que as pessoas têm e que sublinham a importância do cabelo na sociedade de hoje.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Saúde

A perda capilar é, portanto, uma preocupação para a maioria das pessoas.

A importância do cabelo

Historicamente, o cabelo é considerado um símbolo de força para o homem e de sedução para as mulheres.

Podem ser citados dois bons exemplos: a deusa grega Afrodite que cobria todo seu belíssimo corpo com seu longo cabelo e Sansão, o herói bíblico que possuía uma força incomparável graças ao seu cabelo, também longo. Em contrapartida, é possível mencionar os prisioneiros e escravos romanos que tinham as cabeças raspadas para demonstrar a condição de subordinados.

Desde aquela época e até hoje, o cabelo integra os ideais de beleza, força, jovialidade, status social e poder. Além disso, o cabelo também é uma das formas mais eficazes para transmitir personalidade individual ou de determinado grupo social. E avaliando por um lado mais místico, o cabelo pode ser tido como uma extensão física dos nossos sentimentos: reflete pensamentos, expressa mudanças internas e a forma como a pessoa lida com a vida.

Um exemplo disso é a quebra do paradigma histórico de que a beleza feminina só é válida quando o cabelo é longo: muitas lindas lindas, símbolos sexuais, usam cortes bem curtos atualmente. Quebrando paradigmas do patriarcado.

De uma forma geral, a maioria das pessoas concorda que estar bem com o cabelo, ajuda a estar bem consigo mesmo. Por isso, os problemas de queda de cabelo impactam tanto a autoestima, afetando as relações sociais, profissionais e pessoais.

Como a baixa autoestima afeta o ser humano

Não gostar do próprio reflexo no espelho pode tornar a pessoa mais introspectiva e afetar a confiança, causando uma vulnerabilidade maior. Pessoas inseguras consigo mesmas têm maior dificuldade em alcançar cargos de liderança, manter relacionamentos amorosos, e até mesmo em conhecer lugares novos. Em muitos casos, a pessoa até evita sair de casa. Esse isolamento social pode levar a depressão, doença que atinge 10% dos brasileiros.

Além de prejudicar o relacionamento interpessoal, a baixa autoestima pode afetar o organismo: insônia, distúrbios alimentares, alterações de humor, baixa imunidade, pressão arterial alta, enxaquecas e até mesmo doenças cardiovasculares podem estar relacionadas à baixa autoestima.

O cabelo não é um órgão vital para o funcionamento do organismo, ninguém morre por estar calvo ou parcialmente calvo. No entanto, o impacto social que a falta de cabelo pode provocar afeta o instinto humano que nos diferenciou de outras espécies: a comunicação. Por isso os tratamentos clínicos, tricopigmentação e transplante capilar [VIDEO]têm sido cada vez mais procurados por homens e mulheres de diversas idades, todos em busca de sentir-se bem com a própria imagem.

Então, caso haja a percepção de que o cabelo está caindo mais do que o normal, o ideal é buscar ajuda de um profissional qualificado para que ele possa auxiliar. O mais importante de tudo não é ter ou não cabelo, e sim estar bem consigo mesmo, é ter segurança em ser quem é.