A Agência Espacial Norte-Americana (Nasa), alertou no final de semana sobre aproximação de um asteroide com cerca de 50 a 120 metros de diâmetros, que passou próximo à Terra.

De acordo com agência, o objeto denominado 2009 WB105 passou na noite de domingo, às 22h14, horário de Brasília, a uma distância de 5,8 milhões de km da Terra, a uma velocidade aproximada de 64 mil km/h. Apesar da distância não parecer próxima, o valor convertido em escala astronômica impressiona.

Com diâmetro entre 50 e 120 metros, o asteroide não parece ser tão amedrontador, porém, especialistas apontaram que o corpo celeste poderiam facilmente ser maior que uma piscina olímpica ou um campo de futebol, sendo um artefato considerado perigoso pelos especialistas.

Esse é um dentre uma série de asteroides que passaram próximos à Terra nos últimos meses. No dia 20 de novembro, dois outros asteroides, que mediam entre 12 e 35 metros passaram próximos ao planeta.

Nasa detecta mais asteroides próximos à Terra

A agência espacial norte-americana revelou que houve um aumento considerável na detecção de objetos grandes próximos à Terra. Aumentando assim, a tensão entre cientistas e teóricos da conspiração, que acreditam na possibilidade iminente de um desses corpos celestes atingirem o planeta.

Para o cientista Iain McDonald, da Universidade de Cardiff, no Reino Unido, a colisão de corpos celestes com à Terra é apenas uma questão de tempo.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Ciência

Momentos na história do planeta revelam sobre o histórico de colisões de rochas, e isso deve voltar a acontecer em um futuro próximo, afirmou o cientista em uma entrevista à emissora BBC.

Para alguns teóricos, o aumento no número de detecção de asteroides prova a possibilidade de uma iminente catástrofe envolvendo a colisão de asteroides. Alguns apontam a teoria do planeta Nibiru, que estaria em rota de colisão com o planeta Terra.

Lembrando que, há pouco tempo, o mundo teve uma experiência com um asteroide, que atingiu a Rússia, no ano de 2013, explodindo sobre a cidade de Cheliabinsk, dividindo-se em diversos pedaços, causando danos em residências e deixando centenas de pessoas feridas.

O asteroide de Cheliabinsk tinha cerca de 17 metros de diâmetro, pesando cerca de 10.000 toneladas. Liberou 500 quilotons de energia, comparado a bomba atômica liberada sobre a cidade de Hiroshima, que libertou 13 quilotons de energia.

Os asteroides que passaram próximos à Terra tinham dezenas de metros de diâmetro a mais, em comparação ao que caiu na Rússia. O que mostra o nível de preocupação que agências espaciais, como a Nasa, colocam sobre esses objetos, que são considerados de extremo risco.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo