No século XXI, um fenômeno que chama a atenção é a questão da conexão virtual e como as crianças e jovens acabam sendo inseridos cada vez mais cedo nesse meio.

A Tecnologia chegou para ficar, entretanto, além das facilidades proporcionadas pelos smartphones e todos os demais equipamentos eletrônicos, todos esses recursos virtuais acabam também trazendo algumas preocupações e prejuízo, caso não sejam usados com consciência e moderação.

Dentre os diversos aplicativos de imagens e vídeos disponíveis mundialmente, o Snapchat faz muito sucesso entre os jovens, principalmente devido aos inúmeros recursos e filtros disponíveis para alterar a imagem real do indivíduo.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Saúde

E é justamente esse tipo de recurso que está gerando um fenômeno que está deixando em alerta os profissionais da área da Saúde, pois acaba fazendo com que as pessoas tenham uma ideia equivocada sobre o que é a beleza.

Segundo um estudo realizado Boston Medical Center e publicado no Journal of the American Medical Association’s Facial Plastic Surgery, os recursos disponíveis para a edição de selfies estão influenciando o conceito de beleza e distorcendo a autoimagem [VIDEO]que os indivíduos fazem de si mesmos. De acordo com a pesquisa, adolescentes estão procurando intervenções plásticas [VIDEO] para se parecerem mais com as imagens “filtradas” que tiram de si mesmos.

Conforme os dados apresentados pelo Boston Medical, cada vez é mais comum que as pessoas recorram a filtros e editores para modificarem suas fotografias, buscando nas redes sociais a validação positiva de sua imagem.

Segundo o estudo, 55% dos cirurgiões plásticos consultados confirmaram que já foram procurados por pessoas que estavam em busca de uma cirurgia plástica para mudar a aparência com o objetivo de ficarem ''melhores'' nas selfies.

Dismorfia Corporal

Conforme esclarece a pesquisa divulgada no Journal of the American Medical Association’s Facial Plastic Surgery, as pessoas que buscam recorrer a intervenções estéticas com esse objetivo, claramente têm dificuldades para lidar com sua imagem real, o que configura um transtorno denominado dismorfia corporal ou síndrome de distorção da imagem. No caso específico de pessoas influenciadas pelos recursos de edição de imagem, esse transtorno está sendo chamado de dismorfia [VIDEO]de Snapchat ou Snapchat Dysmorphia.

De acordo com as análises e explicações disponibilizadas no estudo, quem sofre com esse problema precisa procurar auxílio psicológico, uma vez que intervenções estéticas não são aconselhadas e não sanam o transtorno.