Bebês com menos de um ano não devem ser expostos a telas de TVs, celulares, tablets ou computadores, e crianças entre dois e quatro anos não devem passar mais de uma hora por dia diante delas, de acordo com uma nova recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Muitos pais deixam seus filhos jogando em alguns dispositivos eletrônicos. Mas o relatório da OMS é bem claro: "quanto menos tempo, melhor".

Quatro diretores do Centro Médico do Reino Unido aconselham a proibição de telefones celulares na hora de dormir e nas refeições. Este relatório da OMS serve de base para ajudar a formar políticas nacionais de bem-estar para as crianças, visando principalmente a saúde.

O relatório inclui também atividades físicas para crianças menores de cinco anos. Os pequenos entre um e dois anos precisam fazer pelo menos 180 minutos de atividades físicas e dormir entre 11 e 14 horas por dia.

Os que têm idades entre três e quatro anos devem fazer alguma atividade física por 180 minutos, incluindo 60 minutos em nível moderado a intenso, e dormir de 10 a 13 horas diárias.

"Para maiores benefícios à saúde dos bebês e crianças pequenas, precisamos atender a todas as recomendações e o principal é a atividade física, um comportamento sedentário em uma tela de celular ou de computador por horas, prejudica a concentração e o sono de uma criança", afirma o relatório.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Maternidade

"Substituir o tempo gasto com jogos, filmes ou desenhos e praticar alguma atividade física moderada, preserva o sono, acalma a mente, relaxa a criança e proporciona benefícios adicionais a saúde."

Crianças começam cada vez mais cedo a usar aparelhos eletrônicos

Mesmo com a orientação da OMS sobre os males que jogos eletrônicos ou telas de celulares e TV podem causar nas crianças, seria necessário fazer um estudo mais profundo sobre os malefícios destes equipamentos em crianças tão pequenas.

O professor Andrew Przybylski, da Universidade de Oxford, disse: “com base no senso comum, muitas das recomendações fazem sentido, mas precisamos fazer mais testes com crianças de idades diferentes, entre um e cinco anos. Todos nós concordamos que os exercícios físicos são fundamentais para o desenvolvimento da criança e muitos pais são passivos neste quesito, preferido que o filho passe horas com um celular ou vídeo game na mão".

O Dr. Max Davie, diretor de melhoria da saúde do Royal College of Pediatrics and Child Health (RCPCH), disse que as diretrizes são "referências úteis" para as famílias, mas alertou que elas devem ser interpretadas com cautela.

“Nossa pesquisa mostrou que atualmente não há evidências suficientemente fortes para apoiar o estabelecimento de limites de tempo de uso de um celular ou computador, e que o uso destes equipamentos deve ser considerado junto com uma série de atividades para avaliar seu impacto”, disse ele.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo